Pesquisa de Estoques

Menu do Produto

O que é

Investiga informações sobre o volume e a distribuição espacial dos estoques de produtos agrícolas armazenáveis básicos e sobre as unidades onde é feita a sua guarda, tendo como unidade de coleta o estabelecimento que tem instalações ou unidades armazenadoras apropriadas e dedicadas à prestação de serviços de armazenagem ou à guarda de produtos agrícolas vinculados à sua atividade principal.

A Pesquisa de Estoques teve início no IBGE em 1958, intitulada Depósito de Gêneros Alimentícios e Forragens, e, realizada a cada dois anos, visava atender objetivos estratégicos de interesse militar, como garantir o abastecimento em situações críticas para a segurança nacional. Em 1963, o inquérito passou a ser de responsabilidade do Ministério da Agricultura, com periodicidade anual. Em 1966, a investigação foi desdobrada em duas partes (Armazenagem e Estocagem a Seco e Armazenagem e Estocagem a Frio), porém, apesar de a Rede de Coleta do IBGE ter prosseguido com o levantamento dos dados, o Ministério deixou de apurá-los, e ambas as pesquisas foram interrompidas nesse mesmo ano, assim permanecendo até 1971, quando o Instituto reassumiu a responsabilidade total desses inquéritos. Ao longo do tempo, ocorreram alterações, reformulações e aprimoramentos em variados aspectos da pesquisa – escopo; composição do cadastro de informantes; periodicidade; metodologia; conceituações; instrumento de coleta; forma de apuração –, os quais se refletiram, também, em sua denominação atual. No segundo semestre de 2014, houve a introdução do questionário on line, e o informante passou a ter a opção de realizar o preenchimento dos dados pela Internet. A partir do segundo semestre de 2016, passou-se a utilizar a planilha eletrônica, que pode ser preenchida pelo próprio informante com dados de todos os estabelecimentos sob sua responsabilidade. O formato da planilha permite carregamento direto no sistema pelo IBGE, sem a necessidade de digitação dos dados.

A pesquisa fornece informações sobre a atividade e a situação do estabelecimento, modalidade de armazenagem, capacidade útil e estoques existentes de produtos agrícolas selecionados. Na investigação, são consideradas as instalações que tenham sido construídas ou adaptadas para a finalidade de armazenagem e que tenham capacidade útil igual ou superior a 2 000 m3 ou 1 200 t. Cabe ressaltar que qualquer tipo de atividade econômica pode ser alvo de investigação pela pesquisa, sendo a única exceção a supermercadista.

A periodicidade da pesquisa é semestral e os dados correspondem às datas de 30 de junho e 31 de dezembro do ano de referência. Sua abrangência geográfica é nacional, com resultados divulgados para Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação, Mesorregiões, Microrregiões e Municípios.

Sobre - 1° semestre de 2017

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Principais resultados - 1° semestre de 2017

#seriehistorica2017103145754825

 

#seriehistorica201710315219756

 

#seriehistorica201710315354811

 

 

 

Tabelas - 1° semestre de 2017

1 - Total de estabelecimentos armazenadores, segundo as Grandes Regiões

 

Grandes Regiões
Total de Estabelecimentos
Brasil
7 821
Norte
209
Nordeste
506
Sudeste
1 321
Sul
3 600
Centro Oeste
2 185

Fonte - IBGE/DPE/COAGRO - Pesquisa de Estoques 1º semestre de 2017.

Atualizada em 09/11/2017 às 9:00h

 

2 - Capacidade útil das unidades armazenadoras, segundo os tipos de propriedade da empresa - Brasil

 

Tipos de propriedade da empresa
Unidades armazenadoras
Capacidade útil
Armazéns convencionais, estruturais e infláveis (m³)
Armazéns graneleiros e granelizados (t)
Silos (t)
Total
42 968 029
63 061 850
79 171 145
Governo
2 803 946
1 380 200
749 774
Iniciativa privada
30 148 702
46 550 114
57 586 927
Cooperativa
9 189 496
14 038 406
19 634 986
Economia mista
825 885
1 093 130
1 199 458

FONTE - IBGE, DPE, COAGRO, Pesquisa de Estoques 1º semestre de 2017.

Atualizada em 09/11/2017 às 9:00h

 

3 - Capacidade útil das unidades armazenadoras, segundo os tipos de atividade do estabelecimento - Brasil

 

Tipos de atividade do estabelecimento
Unidades armazenadoras
Capacidade útil
Armazéns convencionais, estruturais e infláveis (m³)
Armazéns graneleiros, e granelizados (t)
Silos (t)
Total
42 968 029
63 061 850
79 171 145
Comércio
10 844 844
18 138 588
21 702 297
Indústria
9 934 095
9 697 848
15 507 073
Serviço de armazenagem
16 123 425
27 845 862
24 428 987
Produção agropecuária
6 065 665
7 379 552
17 532 788

FONTE - IBGE, DPE, COAGRO, Pesquisa de Estoques 1º semestre de 2017.

Corrigida em 09/11/2017 às 11:30h (A capacidade total útil de Armazéns convencionais, estruturais e infláveis informada foi de 42.986.029 m³, sendo que na verdade esse valor é de 42.968.029 m³).

 

4 - Estoque dos produtos investigados em 30/06/2017 - Brasil

 

Produtos
Estoque em 30/06/2017 (t)
Algodão (em pluma)
61 878
Algodão (em caroço)
13 690
Caroço de algodão
34 241
Semente de algodão
X
Arroz (em casca)
4 913 068
Arroz beneficiado
262 921
Semente de arroz
29 089
Café arábica (em grão)
791 378
Café canephora (em grão)
107 021
Feijão preto (em grão)
45 237
Feijão de cor (em grão)
55 300
Milho (em grão)
12 977 022
Semente de milho
123 766
Soja (em grão)
34 867 801
Semente de soja
726 202
Trigo (em grão)
2 364 852
Semente de trigo
135 244
Outros grãos e sementes
1 168 842

Fonte - IBGE/DPE/COAGRO - Pesquisa de Estoques 1º semestre de 2017.

Nota: Os dados com menos de 3 informantes estão desidentificados com o caracter X.

Atualizada em 09/11/2017 às 9:00h

Quadros sintéticos - 1° semestre de 2017

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Microdados - 1° semestre de 2017

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Séries históricas

    #seriehistorica201755133829824 

    #seriehistorica20175513414681

     

    Microdados

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Portaria de precedência

    Divulgação dos resultados de indicadores conjunturais

     

    Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
    GABINETE DO MINISTRO
    PORTARIA Nº 355, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2007
    (Publicada no Diário Oficial da União nº 213, Seção 1, de 06.11.2007)

     

    O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II, do artigo 87 da Constituição Federal, resolve:

    Art. 1º - A divulgação dos resultados de indicadores conjunturais produzidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE seguirá as seguintes etapas:

    I - às sete horas do dia da divulgação serão encaminhados os resultados, acompanhados de um sumário-executivo elaborado pelo IBGE, para as autoridades da lista de precedência;

    II - às nove horas do dia da divulgação serão encaminhados os resultados para os órgãos de imprensa e disseminados na Internet, através do sítio https://www.ibge.gov.br.

    § 1º. Os técnicos do IBGE estarão disponíveis para prestar esclarecimentos aos usuários sobre os resultados da pesquisa divulgada a partir do encaminhamento de que trata o inciso II do caput.

    § 2º. O disposto nesta portaria aplica-se a qualquer indicador conjuntural produzido pelo IBGE, especialmente aos seguintes:

    I - Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC);

    II - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA);

    III - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E);

    IV - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15);

    V - Pesquisa Mensal de Emprego (PME);

    VI - Contas Nacionais Trimestrais;

    VII - Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil);

    VIII - Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional);

    IX - Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário - (PIMES);

    X - Pesquisa Mensal de Comércio (PMC);

    XI - Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI);

    XII - Conjuntura Agropecuária (Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal; Pesquisa Trimestral de Abate de Animais; Pesquisa Trimestral de Leite; Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha; Pesquisa Trimestral do Couro).

    Art. 2° - A relação das autoridades constantes da lista de precedência específica a cada pesquisa de indicadores conjunturais, será divulgada por intermédio de Nota Oficial da Instituição e disseminada no portal do IBGE na Internet, através do sítio https://www.ibge.gov.br

    Art. 3º - As autoridades constantes da lista de precedência deverão observar o mais rigoroso sigilo das informações referentes aos indicadores de que trata esta Portaria, nos termos do disposto na Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

    Art. 4º - Revogam-se as Portarias nº 164/MP, de 20 de dezembro de 1999, e nº 167/MP, de 5 de setembro de 2003.

    Art. 5º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

     

    PAULO BERNARDO SILVA 


     O IBGE divulga a relação das autoridades que recebem com precedência os resultados das pesquisas conjunturais produzidas por esta Instituição: 

    Ministro de Estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Esteves Pedro Colnago Júnior

    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Ministro de Estado da Fazenda - Eduardo Refinetti Guardia

    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física - Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
    • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Borges Maggi

    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Ministro de Estado da Indústria, Comércio e Serviços

    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física - Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República - Eliseu Lemos Padilha

    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Presidente do Banco Central - Ilan Goldfajn

    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Presidente da Caixa Econômica Federal - Nelson Antônio de Souza

      Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)

     

    Ministro de Estado do Trabalho - Hélton Yomura (Interino)

    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Diretor do Departamento de Estudos Econômicos e Pesquisas do Ministério do Turismo - José Francisco de Salles Lopes

    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)

     

    Roberto Luís Olinto Ramos
    Presidente do IBGE
    Atualizado em 10 de abril de 2018

      

    Divulgação dos resultados de indicadores estruturais

     

    Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
    GABINETE DO MINISTRO
    PORTARIA Nº 15, DE 27 DE JANEIRO DE 2005
    (Publicada no Diário Oficial da União edição número 20 de 28/01/2005)

     

    O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, INTERINO, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos I e II, da Constituição e considerando o disposto no art. 27, inciso XVII, alínea "c", da Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, resolve:

    Art. 1º - Disciplinar os procedimentos a serem observados na divulgação dos resultados de indicadores estruturais produzidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE.

    Art. 2º Os resultados serão encaminhados pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE ao Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, com antecedência mínima de quarenta e oito horas do horário fixado no art. 3º, inciso I, desta Portaria.

    Art. 3º No dia da divulgação dos resultados dos indicadores de que trata esta Portaria, serão observados:

    I - liberação para a imprensa e disponibilização pela Internet, no endereço: (https://www.ibge.gov.br), às 10 horas;

    II - os técnicos do IBGE somente poderão prestar esclarecimentos sobre os resultados dos indicadores estruturais após a liberação e publicação na forma do inciso I.

    Art. 4º Os servidores que tenham conhecimento prévio dos resultados deverão manter rigoroso sigilo, sob pena de responsabilidade nos termos da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

    Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

     

    NELSON MACHADO

     

     

    Downloads

    Conceitos e métodos - 1° semestre de 2017

    As informações a seguir descrevem os metadados estatísticos, que são o conjunto de conceitos, métodos e aspectos relacionados às estatísticas, e são informações necessárias para compreender as características e a qualidade das estatísticas e interpretá-las corretamente.

    Objetivo

    A Pesquisa de Estoques objetiva fornecer informações estatísticas conjunturais sobre o volume e distribuição espacial dos estoques de produtos agrícolas básicos, sobre as unidades onde é feita a sua guarda, e acompanhar a sua evolução ao longo do tempo.

    Tipo de operação estatística

    Pesquisa agrícola

    Tipo de dados

    Dados de Censo

    Periodicidade de divulgação

    Semestral

    Abrangência geográfica

    Nacional

    População-alvo

    Estabelecimentos que possuem unidades armazenadoras - prédios ou instalações construídas ou adaptadas para armazenagem de produtos agrícolas com capacidade útil total igual ou superior a 2.000 m³ ou 1.200 toneladas, que tenham como atividade principal comércio (exceto supermercado), indústria, serviço de armazenagem ou produção agropecuária.

    Metodologia

    São aplicados questionários nos estabelecimentos que se dedicam à prestação de serviços de armazenagem ou que tenham a guarda de produtos agropecuários ou derivados, vinculados à sua atividade principal.
    O cadastro de estabelecimentos da pesquisa é um painel baseado nos cadastros da Pesquisa de Armazenagem e Estocagem a Seco, realizada até 1984, ampliado com a inclusão dos estabelecimentos constantes dos Censos Econômicos (até 1985) e Censos Agropecuários, e de cadastros de outros órgãos públicos e privados ligados ao setor. A atualização do cadastro é feita pela Rede de Coleta do IBGE, com a inclusão sistemática de informantes que atendam às características de atividade, de capacidade estática e de guarda de volumes de produtos agrícolas, definidas na população alvo.
    Técnica de coleta:
    CASI - Questionário eletrônico autopreenchido, PAPI - Entrevista pessoal com questionário em papel, Fax ou correio eletrônico, Telefone

    Temas

    Temas e subtemas
    Estatísticas econômicas setoriais, Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura
    Principais variáveis
    - tipo de propriedade da empresa
    - tipo de atividade e situação do estabelecimento
    - modalidade de armazenagem
    - capacidade útil
    - estoques existentes

    Os produtos investigados são: algodão (em pluma), algodão (em caroço), caroço de algodão, semente de algodão, arroz (em casca), arroz beneficiado, semente de arroz, café arábica (em grão), café canephora (em grão), feijão preto (em grão), feijão de cor (em grão), milho (em grão), semente de milho, soja (em grão), semente de soja, trigo (em grão), semente de trigo e outros grãos e sementes.

    Palavras-chave
    Estoque Armazenagem Armazém Silo

    Unidades de informação

    Unidade de investigação
    Estabelecimento
    Unidade de análise
    Município
    Unidade informante
    Estabelecimento.

    Períodos de referência

    Data - 30/06/2017
    Data de início da coleta
    01/07/2017
    Data do fim da coleta
    31/08/2017

    Disseminação

    Formas de disseminação
    Banco de Dados Agregados - SIDRA, Publicação Digital (online)
    Nível de desagregação geográfica
    Município
    Nível de divulgação
    A pesquisa é divulgada em nível Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação, Mesorregiões, Microrregiões Geográficas e Municípios.

    Instrumentos de coleta

    Histórico

    A pesquisa teve origem, no IBGE, em 1958, sob o título "Depósito de Gêneros Alimentícios e Forragens". Em 1963, a apuração passou à responsabilidade do Ministério da Agricultura, tendo sido, em 1966, desdobrada em duas partes: "Armazenagem e Estocagem a Seco" e "Armazenagem e Estocagem a Frio". A partir de 1966, o Ministério da Agricultura deixou de fazer a apuração dos dados levantados pelo IBGE.
    Em 1971, o IBGE assumiu novamente a sua responsabilidade, sendo que, em 1986, foi reformulada e passou a se denominar "Pesquisa Especial de Armazenagem" e, finalmente, "Pesquisa de Estoques", a partir do segundo semestre de 1987.

    Saiba mais

    https://metadados.ibge.gov.br/consulta/estatisticos/operacoes-estatisticas/ES

    Calendário

    Próximas divulgações

    Operação estatísticaPrevisão de divulgação
    Pesquisa de Estoques
    Período de referência: 7/2017 a 12/2017
    12/06/2018
    Pesquisa de Estoques
    Período de referência: 1/2018 a 6/2018
    08/11/2018

    Divulgações anteriores

    Operação estatísticaData da divulgação
    Pesquisa de Estoques
    Período de referência: 1/2017 a 6/2017
    09/11/2017
    Pesquisa de Estoques
    Período de referência: 7/2016 a 12/2016
    08/06/2017

    Publicações - 1° semestre de 2017

    Notícias e releases

    Ver mais notícias

    Material de apoio

    Nenhum material de apoio cadastrado para esse item

    Erramos

    • Substituição da Tabela 3 da Pesquisa de Estoques

      Data de publicação: 09/11/2017 05:11

      Descrição:  A capacidade total útil de Armazéns convencionais, estruturais e infláveis, informada na tabela 3 da Pesquisa de Estoques do 1º semestre de 2017, é de 42.968.029 m³. Inicialmente, a capacidade informada foi de 42.986.029 m³..

      Ações: A tabela foi corrigida.


    Participe da Consulta pública aos usuários do Censo Demográfico 2020