Annual Survey of Industry - Enterprise - PIA-Empresa

Menu do Produto

Description

The Annual Survey of Industry - Enterprise, PIA-Enterprise, aims at identifying the basic structural characteristics of the industrial activity in Brazil. Its results are a reference to the analysis of the activities that comprise this segment, as well as a basis for the System of National Accounts to estimate the gross production value, intermediate consumption, value added, capital formation and employed population.

About - 2017

The Annual Survey of Industry - Enterprise, PIA Enterprise, aims at identifying the basic structural characteristics of the industrial activity in Brazil and its changes over time. It includes, aoming other aspects, data on employed personnel, salaries, costs and expenses, revenues, production value and value added. Its results are a reference to the analysis of the activities that comprise this segment and give support to the macroeconomic estimates of the System of National Accounts -SNA.

The current fact sheet brings analytical comments on the main results of the 2017 PIA-Enterprise from two points of view. The first presents a characterization of the enterprises with 1 or more employed persons based on variables related to turnover (gross revenue and net sales revenue), employment (employed personnel) and industrial concentration (participation in the value of industrial transformation). In the second part, the focus is on the industrial producing branches of the enterpirses with 5 or more employed persons, in which the sectorial and regional compositions of the Brazilian industry from the productive point of view are highlighted, in terms of the value of the industrial transformation, presenting the three most relevant activities in each Federation Unit. In both cases, the results were compared with those observed in 2008 to illustrate the structural changes that occurred in the period.

The fact sheet on PIA-Eterprise is also available in print. The technical notes are released separately and can only be accessed digitally on this page. They provide information about objectives, scope, classification of activities, concepts and definitions adopted, sampling plan, among other methodological considerations on the survey.

The IBGE web portal also presents the complete table plan of PIA-Enterprise, by enterprise and by Major Regions and Federation Units, as well as the results of enterprises with 30 and more employed persons and/or with gross revenue from sales of industrial services and products above R$13.6 million  in the year before that of the survey reference. The information for the 1996-2007 considers the structure set by CNAE 1.0 and, for the 2007-2016 period, by CNAE 2.0.

This set of information constitutes the most complete source of statistics on the subject, providing elements for public and private planning, for the academic community and for society in general.

Methodological information can be obtained in the publication Annual Survey of Industry: Enterprise, of the Methodological Reports Series.

Complementary Publications:

Main results - 2017

#tabelasidra201795155653712

#tabelasidra201795155745107

#tabelasidra201795155824755

 


The IBGE adopts a review policy of the data disclosed by this statistical operation. Data review means any and all scheduled revision of numerical data due to new information, which was not accessible at the time of the first disclosure. For instance: late data that replaces a non-response; or data corrected by the informant himself; or a set of data that has undergone editing and imputation. For more detailed information about the published data review policy of the IBGE statistical operations, check the list of short-term, long-term and special surveys carried out by the Institute with their respective revision procedure on: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=298009.

Tables - 2017

    No content available

    The IBGE adopts a review policy of the data disclosed by this statistical operation. Data review means any and all scheduled revision of numerical data due to new information, which was not accessible at the time of the first disclosure. For instance: late data that replaces a non-response; or data corrected by the informant himself; or a set of data that has undergone editing and imputation. For more detailed information about the published data review policy of the IBGE statistical operations, check the list of short-term, long-term and special surveys carried out by the Institute with their respective revision procedure on: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=298009.

    Summary Tables - 2017

      No content available

      Microdata - 2017

      No content available

      Technical Information

      Survey Methodology (Methodological Report Series, v. 26)

      Survey Methodology (Methodological Report Series, v. 17)


      The changes occurred in the survey after the disclosure of methodological reports are presented in the form of Technical Notes. Up to 2015, these notes were a separate chapter of the publication of the results and, as of 2016, they have been disclosed separately. To see them, please click on the following address:  https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=71719 

      Time series

      #tabelasidra20179213524522

      #tabelasidra201792134318769

      #tabelasidra201792134541335

      #tabelasidra20179213473454

      Microdata

      No content available

      Ordinance on pre-release access (in Portuguese)

      Divulgação dos resultados de indicadores conjunturais

       

      Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
      GABINETE DO MINISTRO
      PORTARIA Nº 355, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2007
      (Publicada no Diário Oficial da União nº 213, Seção 1, de 06.11.2007)

       

      O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II, do artigo 87 da Constituição Federal, resolve:

      Art. 1º - A divulgação dos resultados de indicadores conjunturais produzidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE seguirá as seguintes etapas:

      I - às sete horas do dia da divulgação serão encaminhados os resultados, acompanhados de um sumário-executivo elaborado pelo IBGE, para as autoridades da lista de precedência;

      II - às nove horas do dia da divulgação serão encaminhados os resultados para os órgãos de imprensa e disseminados na Internet, através do sítio https://www.ibge.gov.br.

      § 1º. Os técnicos do IBGE estarão disponíveis para prestar esclarecimentos aos usuários sobre os resultados da pesquisa divulgada a partir do encaminhamento de que trata o inciso II do caput.

      § 2º. O disposto nesta portaria aplica-se a qualquer indicador conjuntural produzido pelo IBGE, especialmente aos seguintes:

      I - Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC);

      II - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA);

      III - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E);

      IV - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15);

      V - Pesquisa Mensal de Emprego (PME);

      VI - Contas Nacionais Trimestrais;

      VII - Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil);

      VIII - Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional);

      IX - Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário - (PIMES);

      X - Pesquisa Mensal de Comércio (PMC);

      XI - Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI);

      XII - Conjuntura Agropecuária (Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal; Pesquisa Trimestral de Abate de Animais; Pesquisa Trimestral de Leite; Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha; Pesquisa Trimestral do Couro).

      Art. 2° - A relação das autoridades constantes da lista de precedência específica a cada pesquisa de indicadores conjunturais, será divulgada por intermédio de Nota Oficial da Instituição e disseminada no portal do IBGE na Internet, através do sítio https://www.ibge.gov.br

      Art. 3º - As autoridades constantes da lista de precedência deverão observar o mais rigoroso sigilo das informações referentes aos indicadores de que trata esta Portaria, nos termos do disposto na Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

      Art. 4º - Revogam-se as Portarias nº 164/MP, de 20 de dezembro de 1999, e nº 167/MP, de 5 de setembro de 2003.

      Art. 5º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

       

      PAULO BERNARDO SILVA 


       O IBGE divulga a relação das autoridades que recebem com precedência os resultados das pesquisas conjunturais produzidas por esta Instituição: 

      Ministro de Estado da Economia - Paulo Roberto Nunes Guedes

      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
      • Contas Nacionais Trimestrais
      • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
      • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
      • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
      • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
      • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
      • Conjuntura Agropecuária
        • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
        • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
        • Pesquisa Trimestral de Leite
        • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
        • Pesquisa Trimestral do Couro
      • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
      • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

       

      Ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Tereza Cristina

      • Conjuntura Agropecuária
        • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
        • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
        • Pesquisa Trimestral de Leite
        • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
        • Pesquisa Trimestral do Couro
      • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

       

      Ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República - Onyx Lorenzoni

      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
      • Contas Nacionais Trimestrais
      • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
      • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
      • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
      • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
      • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
      • Conjuntura Agropecuária
        • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
        • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
        • Pesquisa Trimestral de Leite
        • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
        • Pesquisa Trimestral do Couro
      • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
      • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

       

      Presidente do Banco Central - Roberto de Oliveira Campos Neto

      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
      • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
      • Contas Nacionais Trimestrais
      • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
      • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
      • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
      • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
      • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
      • Conjuntura Agropecuária
        • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
        • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
        • Pesquisa Trimestral de Leite
        • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
        • Pesquisa Trimestral do Couro
      • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
      • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

       

      Presidente da Caixa Econômica Federal - Pedro Guimarães

        Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)

       

      Ministro de Estado do Turismo - Marcelo Álvaro Antônio

      • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)

       

      Susana Cordeiro Guerra
      Presidente do IBGE
      Atualizado em 11 de março de 2019

        

      Divulgação dos resultados de indicadores estruturais

       

      Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
      GABINETE DO MINISTRO
      PORTARIA Nº 15, DE 27 DE JANEIRO DE 2005
      (Publicada no Diário Oficial da União edição número 20 de 28/01/2005)

       

      O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, INTERINO, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos I e II, da Constituição e considerando o disposto no art. 27, inciso XVII, alínea "c", da Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, resolve:

      Art. 1º - Disciplinar os procedimentos a serem observados na divulgação dos resultados de indicadores estruturais produzidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE.

      Art. 2º Os resultados serão encaminhados pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE ao Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, com antecedência mínima de quarenta e oito horas do horário fixado no art. 3º, inciso I, desta Portaria.

      Art. 3º No dia da divulgação dos resultados dos indicadores de que trata esta Portaria, serão observados:

      I - liberação para a imprensa e disponibilização pela Internet, no endereço: (https://www.ibge.gov.br), às 10 horas;

      II - os técnicos do IBGE somente poderão prestar esclarecimentos sobre os resultados dos indicadores estruturais após a liberação e publicação na forma do inciso I.

      Art. 4º Os servidores que tenham conhecimento prévio dos resultados deverão manter rigoroso sigilo, sob pena de responsabilidade nos termos da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

      Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

       

      NELSON MACHADO

       

       

      Downloads

      Concepts and methods - 2017

      As informações a seguir descrevem os metadados estatísticos, que são o conjunto de conceitos, métodos e aspectos relacionados às estatísticas, e são informações necessárias para compreender as características e a qualidade das estatísticas e interpretá-las corretamente.

      Informações Gerais

      Objetivo
      A Pesquisa Industrial Anual - Empresa – PIA-Empresa tem por função principal identificar as características estruturais básicas da atividade industrial no País e suas transformações no tempo. Seus principais objetivos são: . Dimensionar a produção, faturamento, custos e despesas, consumo intermediário, gastos com a folha de pagamento, volume de pessoas ocupadas, despesas com formação de capital, dentre outras características estruturais do segmento industrial do País, por atividade detalhada da Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE 2.0; · Fornecer a base de dados para o tratamento das atividades das indústrias extrativas e de transformação no Sistema de Contas Nacionais, o que inclui as estimativas do valor da produção, da estrutura de consumo intermediário, o cálculo do valor agregado e a especificação de sua composição, o volume de pessoal ocupado e, ainda, as estimativas de formação de capital nas atividades deste segmento produtivo; . Possibilitar análises da atividade industrial no País sob outras óticas, como: estudos setoriais, estimação da produtividade do trabalho, da intensidade de capital e dos níveis de concentração nas várias atividades, e distribuição espacial da atividade, dentre outros; · Dimensionar a distribuição regional da indústria no território nacional, fornecendo estimativas básicas, segundo classes de atividades econômicas selecionadas, para as Unidades da Federação; · Servir como núcleo básico de um sistema mais amplo de informações sobre as indústrias extrativas e de transformação, em torno do qual se articulem outras pesquisas e/ou suplementos; · Atualizar o Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) do IBGE nos segmentos das atividades de comércio cobertas pela pesquisa, sobretudo no que diz respeito à Classificação Nacional de Atividades (CNAE 2.0).
      Tipo de operação estatística
      Pesquisa de empresas
      Tipo de dados
      Dados de pesquisa por amostragem probabilística
      Periodicidade de divulgação
      Anual
      População-alvo
      Inclui as empresas que atendem aos seguintes requisitos: 1) estar em situação ativa no Cadastro Central de Empresas – CEMPRE, do IBGE, que cobre as entidades com registro no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ; 2) ter atividade principal compreendida nas seções B e C (Indústrias extrativas e Indústrias de transformação, respectivamente) da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.0; 3) estar sediada no Território Nacional; 4) estar organizada juridicamente como entidade empresarial, tal como de¿nido na Tabela de Natureza Jurídica; 5) ter pelo menos uma pessoa ocupada em 31 de dezembro do ano de referência do cadastro básico de seleção da pesquisa.

      Metodologia

      Técnica de coleta:
      CASI - Questionário eletrônico autopreenchido
      Procedimento de amostragem
      A amostra da pesquisa é selecionada do Cadastro Básico de Seleção - CBS, obtido a partir do Cadastro Central de Empresas - CEMPRE do IBGE, que é atualizado pelas próprias pesquisas por empresa do ano anterior e pelos registros administrativos do Ministério do Trabalho, a saber: a Relação Anual de Informações Sociais - RAIS do ano anterior e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - CAGED do ano de referência.
      O desenho amostral utilizado é feito por amostragem aleatória estratificada simples com 2 níveis. Dessa forma, primeiramente são selecionados os estratos naturais e, dentro desses, os estratos finais.
      Os estratos naturais são construídos a partir da união de empresas com a mesma combinação de Unidade da Federação e agrupamentos de classificação de atividade (UF + CNAE). Posteriormente, os estratos finais são obtidos pela subdivisão de cada estrato natural em outros dois estratos: certo e amostrado. A alocação das empresas em cada um desses estratos é dada pelo pessoal ocupado, de acordo com o cadastro básico de seleção da amostra, segundo os seguintes critérios:

      • Estrato certo - empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas subdividido em três estratos finais:
      1) Estrato certo C1 - empresas com 30 a 99 pessoas ocupadas;
      2) Estrato certo C2 - empresas com 100 a 199 pessoas ocupadas; e
      3) Estrato certo C3 - empresas com 200 ou mais pessoas ocupadas e/ou que auferiram receita bruta proveniente das vendas de produtos e serviços industriais superior a R$ 100,0 milhões no ano anterior ao de referência da pesquisa.

      • Estrato amostrado - empresas com menos de 30 pessoas ocupadas subdivididos da seguinte maneira:
      1) Estrato amostrado A1 - empresas com 1 a 4 pessoas ocupadas;
      2) Estrato amostrado A2 - empresas com 5 a 9 pessoas ocupadas; e
      3) Estrato amostrado A3 - empresas com 10 a 19 pessoas ocupadas.
      4) Estrato amostrado A4 - empresas com 20 a 29 pessoas ocupadas.

      Cabe ressaltar que existem algumas exceções: empresas que, no cadastro básico de seleção da amostra da pesquisa, possuem menos de 30 pessoas ocupadas são incluídas no estrato certo quando auferiram receita bruta proveniente das vendas de produtos e serviços industriais superior a R$ 13,6 milhões no ano anterior ao de referência da pesquisa.
      As empresas do estrato final certo de cada estrato natural são todas incluídas na amostra. As empresas pertencentes a cada estrato final amostrado são selecionadas usando-se amostragem aleatória simples sem reposição. Além disso, os tamanhos amostrais foram calculados em cada estrato final amostrado de forma a assegurar que o estimador do total de pessoal ocupado em cada estrato natural tivesse um coeficiente de variação de 10%.
      O tamanho final da amostra é obtido pela soma dos tamanhos da amostra de cada estrato final (certo e amostrado). Dado a característica amostral da pesquisa ainda é necessário generalizar a informação para a população da qual foi retirada. O processo de multiplicar os valores das variáveis na amostra pelos respectivos pesos, para fins de cálculo das estimativas, chama-se expansão da amostra. Este passo é fundamental para que os parâmetros populacionais sejam estimados sem vício (viés).

      Temas

      Temas e subtemas
      Indústrias extrativas, Estatísticas econômicas setoriais, Indústrias de transformação
      Principais variáveis
      As principais variáveis investigadas e derivadas na empresa:
      - Pessoal ocupado;
      - Salários, retiradas e outras remunerações;
      - Receita (Bruta, Líquida e demais Receitas);
      - Receita líquida de vendas de produtos e serviços industriais;
      - Gastos com Pessoal;
      - Consumo de matérias-primas, materiais auxiliares e componentes;
      - Custo das mercadorias adquiridas para revenda;
      - Custos das operações industriais;
      - Consumo intermediário;
      - Valor da transformação industrial;
      - Valor bruto da produção industrial;
      - Valor adicionado.
      - Aquisições, melhorias e baixas de ativos tangíveis realizadas no ano.

      Na unidade local:
      As variáveis divulgadas para as unidades locais são variáveis derivadas, com exceção do pessoal ocupado total em 31/12 do ano de referência da pesquisa, e dos salários, retiradas e outras remunerações.
      As informações investigadas nas unidades locais servem de parâmetro para a alocação das informações investigadas ou observadas no nível da empresa: Encargos sociais, Receita líquida industrial, Receita líquida de vendas, Consumo de matérias-primas, Valor bruto da produção industrial, Custos das operações industriais, Valor da transformação industrial, Valor bruto da produção, Consumo intermediário, Valor adicionado.

      Unidades de informação

      Unidade de investigação
      Empresa, Unidade local
      Unidade de análise
      Empresa, Unidade local
      Unidade informante
      Empresa.

      Períodos de referência

      Ano - 01/01/2017 a 31/12/2017
      Data de início da coleta
      02/04/2018
      Data do fim da coleta
      15/09/2018

      Disseminação

      Formas de disseminação
      Publicação Digital (online), Banco de Dados Agregados - SIDRA, Publicação impressa
      Nível de desagregação geográfica
      Unidade da Federação
      Nível de divulgação
      1) Para as empresas com 1 ou mais pessoas ocupadas, os resultados são disponibilizados para Brasil, segundo divisão da CNAE 2.0 (dois dígitos), e se referem a um grupo de variáveis selecionadas. 2) Para as empresas com 5 ou mais pessoas ocupadas, os resultados são apresentados com os seguintes detalhamentos regionais e de atividades: Brasil: - Divisão e grupo da CNAE 2.0 (dois e três dígitos, respectivamente); - Faixas de pessoal ocupado; e - Grandes Regiões - faixas de pessoal ocupado. Unidades da Federação: - Divisão e grupo da CNAE 2.0 (dois e três dígitos, respectivamente) - para Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul; e - Divisão da CNAE 2.0 (dois dígitos) - para as demais Unidades da Federação. 3) Para as empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas e/ou que auferiram receita bruta proveniente das vendas de produtos e serviços industriais superior a um determinado corte definido a priori para cada ano anterior ao de referência da pesquisa, é possível obter-se informações mais detalhadas, ou seja, para classes da CNAE 2.0 (quatro dígitos) e para municípios.

      Instrumentos de coleta

      Histórico

      A série da Pesquisa Industrial Anual - PIA teve início em 1966, com o objetivo de fornecer informações anuais sobre o setor industrial formado pelas indústrias extrativas e de transformação, nos períodos intercensitários. As pesquisas referentes ao período 1966-1995 passaram por diversas fases com diferenças nas abordagens metodológicas e nos desenhos amostrais.
      Entre 1966 e 1979, a pesquisa foi censitária para um corte de valor da produção estipulado, atingindo cerca de 96 mil estabelecimentos no último ano, fornecendo resultados para o Brasil e detalhamentos geográficos; e para as classes, gêneros, grupos e subgrupos da classificação de atividades. Para esses anos, apresentaram-se resultados referentes a 500 produtos industriais selecionados.
      Em 1981, foi introduzida a amostragem probabilística de estabelecimentos, visando facilitar a coleta, agilizar a apuração dos dados e reduzir os prazos de divulgação de resultados. A amostra foi planejada para representar os Dados Gerais dos estabelecimentos para o Brasil e Unidades da Federação e dar estimativas de produção física (para efeito do cálculo de indicadores conjunturais) para os 736 produtos acompanhados na Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física. Possuía cerca de 28 mil estabelecimentos, sendo: 13 mil informantes exclusivos de Dados Gerais, 10 mil informantes de Produção Física e 5 mil informantes simultâneos de Dados Gerais e Produção Física. Foram divulgados resultados para 600 produtos.
      A partir do ano de 1996, a PIA foi adequada aos parâmetros do novo modelo de produção de estatísticas industriais, comerciais, de serviços e de construção, empregando a Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE. Neste modelo, os censos econômicos quinquenais foram substituídos por pesquisas anuais de base amostral. O Cadastro Central de Empresas - CEMPRE, atualizado sistematicamente, passou a ser a referência comum para o universo das empresas coberto por estas pesquisas.
      Em função da necessidade de caracterização da estrutura industrial sob os enfoques da organização de produção (força de trabalho, consumo intermediário, geração de renda, pagamentos de impostos e investimentos) e do resultado prático da atividade industrial em termos do conjunto dos produtos elaborados, e dada a natureza distinta dos procedimentos metodológicos para o levantamento de informações no prisma da atividade das empresas ou sob o ângulo dos produtos fabricados, optou-se pelo desmembramento da PIA em duas pesquisas distintas, articuladas mas independentes, a saber:
      - Pesquisa Industrial Anual - Empresa (PIA-Empresa): tem como foco a empresa industrial e suas unidades locais, se concentrando nos dados econômico-financeiros informados pela contabilidade central e obedecendo a desenho amostral probabilístico;
      - Pesquisa Industrial Anual - Produto (PIA-Produto): é dirigida à unidade local industrial e informada com base na contabilidade analítica, se concentrando em informações da produção, em quantidade e valor, dos produtos fabricados nas principais empresas industriais do país e obedecendo a uma amostragem intencional.
      Em 2007, com a entrada em vigor da CNAE 2.0, os resultados da pesquisa foram publicados na versão anterior da classificação de atividades, para encerrar a série na CNAE 1.0, e na nova versão, dando início a nova série. Também foi feita a inclusão das empresas de 1 a 4 pessoas ocupadas no âmbito da pesquisa.

      Saiba mais

      https://metadados.ibge.gov.br/consulta/estatisticos/operacoes-estatisticas/PK

      Calendar


      Previous releases

      Statistical operationRelease date
      PIA-Empresa - Annual Survey of Industry – Enterprise
      Período de referência: 2016
      21/06/2018

      Publications - 2017

      Support material

      No support material available

      Errata

      No content available