Pesquisa Anual da Indústria da Construção - PAIC

Menu do Produto

O que é

A Pesquisa Anual da Indústria da Construção-PAIC identifica anualmente as características estruturais da atividade de construção e de suas transformações no tempo. As informações levantadas priorizam as estimativas do valor adicionado, da mão de obra ocupada e sua remuneração e dos investimentos em capital fixo, entre outras.

As técnicas de coleta mais comuns utilizadas na PAIC são o questionário eletrônico autopreenchido e a entrevista tradicional com questionário em papel. O questionário da PAIC é disponibilizado em papel, em meio eletrônico, por CD-ROM ou download, no portal do IBGE. As empresas podem optar pelo meio mais conveniente.

Essa pesquisa é uma importante fonte de informações estatísticas sobre o segmento empresarial da construção. Essas informações são essenciais para a construção das Contas Nacionais e Regionais, além de possibilitar uso em análises de instituições públicas, privadas e de ensino que atuam com a atividade de construção.

O sigilo das informações fornecidas é garantido por lei e faz parte dos princípios internacionais das estatísticas oficiais que norteiam todo o trabalho realizado pelo IBGE.

Sobre a publicação - 2015

A Pesquisa Anual da Indústria da Construção - PAIC tem por objetivo identificar as características estruturais básicas do segmento empresarial da construção no País. Seus resultados constituem referência para a análise das atividades que compõem este segmento e subsidiam o Sistema de Contas Nacionais nas estimativas de valor da produção, consumo intermediário, volume e composição do valor adicionado, formação de capital e pessoal ocupado.

Com esta publicação, o IBGE apresenta comentários analíticos sobre os resultados da pesquisa relativos a 2015, contemplando, entre outros aspectos, dados sobre pessoal ocupado, custos e despesas, gastos de pessoal, receitas e valor das incorporações, obras e/ou serviços da construção, com base na Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.0. A análise está estruturada em três partes – a primeira discorre sobre os resultados gerais do levantamento; a segunda destaca os componentes da receita bruta, dos custos e despesas e do valor adicionado, bem como a estrutura regional da indústria da construção em 2014 e 2015; na última parte, são confrontados os resultados das empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas, segundo os produtos da construção executados no referido período. A publicação inclui notas técnicas com considerações metodológicas sobre a pesquisa.

O conjunto dessas informações constitui a mais completa fonte de estatísticas sobre o tema, fornecendo aos órgãos das esferas governamental e privada subsídios para o planejamento e a tomada de decisões, e, aos usuários em geral, elementos para estudos setoriais mais aprofundados.

Principais resultados - 2015

#tabelasidra20179584626927

#tabelasidra201795845976

#tabelasidra20179584551715





O IBGE adota uma política de revisão de dados divulgados desta operação estatística. Por revisão de dados entende-se toda e qualquer revisão programada de dados numéricos, em que são disponibilizadas novas informações que não estavam acessíveis quando da primeira divulgação, tais como: um dado tardio que substitui uma não resposta; ou um dado corrigido pelo próprio informante; ou um conjunto de dados que foi submetido a processo de crítica e imputação. Para informações mais detalhadas sobre a política de revisão de dados divulgados das operações estatísticas do IBGE,  consultar a relação das pesquisas conjunturais, estruturais e especiais realizadas pelo Instituto, com o respectivo procedimento de revisão adotado, no endereço: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=298009.

Tabelas - 2015

Tabelas Completas

Tabelas 2015 (xls | ods)

Índice de tabelas 2015

 

Tabelas 2014 (xls | ods(atualizadas em 27/06/2017)

Índice de tabelas 2014

 

Tabelas 2013 (xls | ods(atualizadas em 27/06/2017)

Índice de tabelas 2013

 

 

Atualizações: 
27/06/2017: Na divulgação da PAIC 2015, o carregamento das estimativas dos dados gerais das empresas da construção para o ano de 2013, foi realizado com erro nas tabelas em XLS, ODS e no SIDRA. As tabelas referentes à 2014 comparativas com 2013 também foram corrigidas. Os arquivos com erro foram substituídos no portal IBGE e no SIDRA.


O IBGE adota uma política de revisão de dados divulgados desta operação estatística. Por revisão de dados entende-se toda e qualquer revisão programada de dados numéricos, em que são disponibilizadas novas informações que não estavam acessíveis quando da primeira divulgação, tais como: um dado tardio que substitui uma não resposta; ou um dado corrigido pelo próprio informante; ou um conjunto de dados que foi submetido a processo de crítica e imputação. Para informações mais detalhadas sobre a política de revisão de dados divulgados das operações estatísticas do IBGE,  consultar a relação das pesquisas conjunturais, estruturais e especiais realizadas pelo Instituto, com o respectivo procedimento de revisão adotado, no endereço: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=298009.

Quadros sintéticos - 2015

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Microdados - 2015

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Informações técnicas

    Metodologia da pesquisa (Série Relatórios Metodológicos, v. 36)

    Metodologia da pesquisa (Série Relatórios Metodológicos, v. 17)


    As alterações ocorridas na pesquisa posteriormente à divulgação dos relatórios metodológicos são apresentadas sob a forma de Notas técnicas. Até 2015, essas notas constituem um capítulo próprio das publicações de resultados e, a partir de 2016, são divulgadas em separado. Para conhecê-las, consultar o seguinte endereço: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=754

    Séries históricas

    #seriehistorica201782115557510

     

    Microdados

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Portaria de precedência

    Downloads

    Conceitos e métodos - 2015

    As informações a seguir descrevem os metadados estatísticos, que são o conjunto de conceitos, métodos e aspectos relacionados às estatísticas, e são informações necessárias para compreender as características e a qualidade das estatísticas e interpretá-las corretamente.

    Informações Gerais

    Objetivo
    A pesquisa tem por objetivo produzir e disseminar um conjunto de informações econômico-financeiras que permitam estimar as características estruturais da atividade de construção no País e acompanhar suas transformações no tempo. As informações levantadas priorizam as estimativas do valor adicionado, valor das obras, mão de obra ocupada e sua remuneração e investimentos em capital fixo entre outros, além de possibilitar outros usos em análises da atividade de construção do País.
    Tipo de operação estatística
    Pesquisa de empresas
    Tipo de dados
    Dados de pesquisa por amostragem probabilística
    Periodicidade de divulgação
    Anual
    Abrangência geográfica
    Nacional
    População-alvo
    Inclui as empresas que atendem aos seguintes requisitos: - estar em situação ativa no Cadastro Central de Empresas - CEMPRE do IBGE, que cobre as entidades com registro no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ; - ter atividade principal compreendida na seção F (Construção) da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE, isto é, estar identificada no CEMPRE com código das classes (4 dígitos) desta seção; - estar sediada no Território Nacional; e - ter pelo menos 1 pessoa ocupada em 31 de dezembro do ano de referência do cadastro básico de seleção da pesquisa.

    Metodologia

    A Pesquisa Anual da Indústria da Construção – PAIC – tem por objetivo identificar as características estruturais básicas do segmento empresarial da atividade da construção no País e suas transformações no tempo, através de levantamentos anuais, tomando-se como base uma amostra de empresas de construção.
    A série da PAIC teve início em 1990, tendo como cadastro de seleção os Censos Econômicos de 1985 e como âmbito as empresas do setor da construção que cobriam, no mínimo, 80% do valor bruto da produção, no cruzamento de Unidades da Federação e subgrupos da classificação da construção adotada no Censo de 1985.
    Em 1996, com o início do Programa de Modernização das Estatísticas Econômicas, a pesquisa passa a investigar todas as empresas do setor com 40 ou mais pessoas, e a adotar a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).
    A partir de 2002, a investigação é feita por amostragem probabilística, sendo que o desenho amostral da pesquisa passa a ser semelhante ao das demais pesquisas anuais. Levando em conta a concentração da atividade produtiva nos segmentos de maior porte, inclui no estrato certo da amostra todas as empresas de construção com 30 ou mais pessoas ocupadas. As demais empresas, de 0 a 29 pessoas ocupadas, numericamente majoritárias, são objeto de seleção amostral. Com este procedimento, viabiliza-se a produção sistemática de informações sobre a estrutura do segmento empresarial da construção, a um custo menor e em tempo mais ágil. É importante enfatizar que a PAIC abrange o universo das empresas de construção, inclusive as com menos de 5 pessoas ocupadas. O conjunto de variáveis pesquisadas também foi ampliado visando atender, sobretudo, às necessidades do Sistema de Contas Nacionais.
    O Cadastro Central de Empresas - CEMPRE - do IBGE é a referência para o plano amostral da PAIC.
    A unidade de investigação é a empresa de construção. A empresa é a unidade jurídica caracterizada por uma firma ou razão social que engloba o conjunto de atividades econômicas exercidas em uma ou mais unidades locais .
    Considerando-se a existência de empresas com múltiplas localizações, complementam-se as informações da empresa como um todo, com informações consolidadas por Unidade de Federação para um número reduzido de variáveis.
    A classificação de atividades de referência da PAIC é a Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE. A seção F define o âmbito da pesquisa.
    Técnica de coleta:
    CASI - Questionário eletrônico autopreenchido
    Procedimento de amostragem
    Em 2002, consolidou-se a mudança metodológica da PAIC. A partir desse ano, a investigação é feita por amostragem probabilística, com o desenho amostral da pesquisa sendo semelhante ao das demais pesquisas anuais, no sentido de ter a empresa como unidade de seleção, diferenciar os estratos de seleção em função da concentração da atividade produtiva nos segmentos de maior porte.
    O plano amostral da PAIC emprega amostragem estratificada por corte com 5 estratos em cada estrato natural formado pela Unidade da Federação combinada com divisões ou grupos de atividades da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE denominados estratos finais. A delimitação desses estratos obedeceu a um critério gerencial, de acordo com o número de pessoas ocupadas. Em razão disto, a definição dos limites dos estratos ficou da seguinte forma: de 1 a 4 pessoas, de 5 a 9 pessoas, de 10 a 19 pessoas, de 20 a 29 pessoas, e com 30 e mais pessoas ocupadas. Ressalta-se que, para a combinação dos estratos finais amostrados com menos de 5 pessoas ocupadas, utilizou-se a classificação de atividade segundo a Divisão (2 dígitos) e ,com pessoas ocupadas entre 5 e 29, a classificação em nível de Grupo (3 dígitos). No caso da PAIC, alocou-se em estratos certos as empresas com pessoal ocupado igual ou superior a 30 e/ou que auferiram receita bruta da construção superior a R$ 11,0 milhões no ano anterior ao de referência da pesquisa.
    Nos demais estratos, o tamanho da amostra foi calculado, em cada estrato natural, fixando em 6% o coeficiente de variação do estimador do total de pessoal ocupado e foram selecionadas usando amostragem aleatória simples sem reposição.
    Arbitrou-se que todas as empresas de um estrato final amostrado são, automaticamente, incluídas na amostra sempre que o número de empresas daquele estrato final for menor que cinco. O tamanho final da amostra é obtido pela soma dos tamanhos da amostra de cada estrato final (certo e amostrado).
    No momento da seleção da amostra da PAIC 2014, das 227 361 empresas de construção que compunham o cadastro básico de seleção e que atendiam aos critérios de definição da população-alvo, foram selecionadas 27 797 empresas, das quais 15 925 foram alocadas no estrato certo, 4 900, no estrato amostrado das empresas que ocupam de 5 a 29 pessoas, e 6 972, dentre aquelas que ocupam de 1 a 4 pessoas.

    Temas

    Temas e subtemas
    Estatísticas econômicas setoriais, Construção
    Principais variáveis
    As principais variáveis investigadas são: pessoal ocupado, salários, receita bruta, custos e despesas, resultado do exercício, aquisição e baixa de ativos, materiais de construção consumidos, valor adicionado, valor das incorporações, das obras e/ou serviços da construção, tipos de obras e/ou serviços da construção por cliente contratante.

    Unidades de informação

    Unidade de investigação
    Empresa
    Unidade de análise
    Empresa
    Unidade informante
    Empresa.

    Períodos de referência

    Ano - 01/01/2015 a 31/12/2015
    Data de início da coleta
    02/05/2016
    Data do fim da coleta
    29/09/2016

    Disseminação

    Formas de disseminação
    Publicação Digital (online), Publicação impressa
    Nível de desagregação geográfica
    Unidade da Federação
    Nível de divulgação
    Brasil, Regiões e Unidades da Federação segundo grupos e classes da CNAE.

    Instrumentos de coleta

    Histórico

    A série da PAIC teve início em 1990, tendo como cadastro de seleção os Censos Econômicos 1985 e como âmbito as empresas do setor da construção que cobriam, no mínimo, 80% do valor bruto da produção, no cruzamento de Unidades da Federação e subgrupos da classificação da construção adotada no Censo 1985. Em 1996, com o início do Programa de Modernização das Estatísticas Econômicas, a pesquisa passou a investigar todas as empresas do setor com 40 ou mais pessoas ocupadas empregando a Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE. A partir de 2002, a pesquisa utiliza a amostragem probabilística, e seu desenho amostral passa a ser semelhante ao das demais pesquisas econômicas anuais. É importante enfatizar que a PAIC abrange o universo das empresas de construção, inclusive as com menos de 5 pessoas ocupadas.
    Em 2007, houve uma mudança de CNAE, da versão 1.0 para 2.0. A partir do ano de referência 2008, o IBGE passou, assim, a divulgar uma nova serie de dados da pesquisa, com base na CNAE 2.0, que substitui a estrutura usada anteriormente.

    Saiba mais

    https://metadados.ibge.gov.br/consulta/estatisticos/operacoes-estatisticas/AC

    Calendário

    Próximas divulgações

    Nenhuma divulgação futura


    Divulgações anteriores

    Operação estatísticaData da divulgação
    Pesquisa Anual da Indústria da Construção
    Período de referência: 2016
    07/06/2018
    Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2015
    Período de referência: 2015
    21/06/2017

    Publicações - 2015

    Material de apoio

    Nenhum material de apoio cadastrado para esse item

    Erramos

    • Substituição das tabelas em formato xls, ods e dos dados do Sidra, referentes à revisão do ano de 2013, na divulgação da Pesquisa Anual da Indústria da Construção, PAIC - 2015

      Data de publicação: 27/06/2017 04:06

      Descrição:  Alterações incluídas na Apresentação, nas Referências e na Equipe técnica da publicação com o suplemento Práticas de esporte e atividade física - PNAD 2015.

      Ações: O documento foi corrigido e substituído no portal IBGE