Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil | 2015

Menu do Produto

O que é

O estudo Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil constitui um quadro de referência da urbanização no País. Tal quadro foi obtido a partir de critérios que privilegiaram a integração entre os municípios. A identificação e a delimitação das maiores aglomerações de população no País têm sido objeto de estudo do IBGE desde a década de 1960, quando o fenômeno da urbanização se intensificou, e assumiu, ao longo dos anos, formas cada vez mais complexas. A necessidade de fornecer conhecimento atualizado desses recortes impõe a identificação e a delimitação de formas urbanas que surgem a partir de cidades de diferentes tamanhos, face à crescente expansão urbana, não só nas áreas de economia mais avançada, mas também no Brasil como um todo.

Com o propósito de fornecer um modelo territorial das relações econômicas e sociais, intrínsecas ao processo de urbanização, o presente estudo apresenta um quadro dos Arranjos Populacionais e das Concentrações Urbanas do Brasil. Utilizando-se critérios comuns para todo o País, adotou-se uma abordagem que privilegiou elementos de integração, medidos pelos movimentos pendulares para trabalho e estudo e/ou pela contiguidade da mancha urbanizada.

 

Sobre a publicação - 2015

No estudo Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil 2015 foram identificados 294 Arranjos Populacionais, formados por 953 municípios, que abrangem 55,7% da população residente no Brasil, a partir dos quais foram definidas, por meio de cortes populacionais, as médias e grandes Concentrações Urbanas.

Representando o alto escalão da urbanização brasileira, com mais de 750 000 habitantes, destacaram-se 26 grandes Concentrações Urbanas, nas quais 12 têm papel metropolitano. Acima de 100 000 habitantes até 750 000 habitantes, foram identificadas 159 médias Concentrações Urbanas que atuam como centros intermediários na articulação do sistema urbano nacional.

A publicação traz considerações sobre os referenciais teóricos e os procedimentos metodológicos adotados na elaboração do estudo e apresenta, sob a forma de mapas, a distribuição dos Arranjos Populacionais e das Concentrações Urbanas por Unidades da Federação e os principais deslocamentos pendulares em Concentrações Urbanas acima de 2,5 milhões de habitantes.

Na 2ª edição, revisaram-se os dados que conformam essas unidades urbanas, refletindo-se em alguns ajustes nos resultados anteriormente apresentados.

Acesso ao produto - 2015

Publicação

Aplicativos

Bases de dados e tabelas

  • Tabela 1.1 - Municípios brasileiros que participam de arranjos populacionais - 2010 - XLS | ODS
  • Tabela 1.2 - Arranjos populacionais, por características da população, dos municípios e dos deslocamentos - 2010  XLS | ODS
  • Tabela 1.3 - Arranjos populacionais, por população, número de municípios e características do Produto Interno Bruto - PIB e das empresas - 2010-2011 - XLS | ODS
  • Tabela 1.4 - Composição das 1as integrações dos arranjos populacionais, por população, número de municípios, PIB e características das empresas - 2010-2011 - XLS | ODS
  • Tabela 1.5 - Composição das 2as integrações dos arranjos populacionais, por população, número de municípios, PIB e características das empresas - 2010-2011 - XLS | ODS
  • Tabela 1.6 - Médias concentrações urbanas, por população, Produto Interno Bruto - PIB e características das empresas - 2010-2011 - XLS | ODS
  • Tabela 1.7 - Grandes concentrações urbanas, em ordem decrescente de população, por Produto Interno Bruto - PIB e características das empresas - 2010-2011 - XLS | ODS
  • Tabela 1.8 - Arranjos populacionais fronteiriços, em ordem decrescente de população, por características selecionadas - 2010 - XLS | ODS
  • Base de dados

Mapas

Distribuição dos arranjos populacionais por Unidades da Federação

Principais deslocamentos pendulares nas concentrações urbanas acima de 2.500.000 habitantes

Principais resultados - 2015

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Downloads

Informações técnicas - 2015

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Parcerias

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Resoluções e legislação

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Saiba mais - 2015

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Métodos e documentos de referência - 2015

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Publicações - 2015

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Erramos

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Perguntas frequentes

    O que é um Arranjo Populacional?
    São agrupamentos de dois ou mais municípios com forte integração populacional, devido aos movimentos pendulares para trabalho ou estudo, ou à contiguidade entre manchas urbanas.

    O que é uma Concentração Urbana?
    Os Arranjos Populacionais acima de 100 000 habitantes possuem a urbanização como principal processo indutor da integração dos municípios. Como estes estão diretamente relacionados ao fenômeno urbano e suas dinâmicas, decidiu-se nomeá-los de Concentrações Urbanas. As Concentrações Urbanas foram assim definidas: Municípios Isolados e Arranjos Populacionais, ambos com população acima de 100 000 habitantes. Esses arranjos apresentam alto grau de integração entre os municípios componentes, em particular com o núcleo, possuindo grande tamanho populacional e podendo ter manchas de urbanização que resultam da expansão de uma ou mais cidades, formando conurbações com formas variadas.

    O que são Municípios Isolados?
    São considerados Municípios Isolados aqueles que não participam de Arranjos Populacionais.

    Qual a periodicidade de atualização dos Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil?
    A atualização do estudo é decenal sempre após o último Censo Demográfico de onde são retirados os dados de deslocamento para trabalho e estudo que compõem um dos critérios de delimitação desses recortes. Fica a critério do IBGE, por necessidade ou conveniência, a realização de ajustes nos ciclos de atualização dos produtos

    A sua dúvida não foi respondida aqui?
    Então entre em contato com a gente pelo ibge@ibge.gov.br ou pelo 0800-721-8181.