A Geografia da Cana-de-Açúcar | 2017

Menu do Produto

O que é

A série Dinâmica Territorial da Produção Agropecuária tem por objetivo acompanhar o deslocamento espacial de produtos selecionados do agro nacional que alcançaram expressão relevante no processo de reestruturação do espaço rural brasileiro. Com A Geografia da Cana-de-Açúcar espera-se contribuir para a produção de um quadro amplo e articulado de bases quantitativa e qualitativa do que tem sido nomeado, sob diferentes perspectivas e ao longo do tempo, de indústria rural, agroindústria, complexo agroindustrial, cadeia produtiva, circuito da produção, entre outras designações, transmitindo a noção da intensa relação intersetorial e de interesses que informam, na atualidade, a dinâmica territorial da produção agropecuária brasileira.

A cana-de-açúcar constitui o foco dessa linha de pesquisa, colocando em destaque um produto que moldou não só a história econômica do País, como também a sua identidade cultural, social e política e, ainda hoje, está no centro do entendimento contemporâneo da dinâmica territorial da produção agropecuária brasileira. Trata-se, portanto, de estudar o mundo geográfico da cana-de-açúcar, o sistema de lugares que essa socioeconomia cria: os lugares responsáveis pelo fornecimento de insumos e máquinas agrícolas, os lugares de cultivo, os lugares por onde se transporta a cana colhida e aqueles por onde se escoam os produtos derivados, os lugares de processamento industrial, os lugares de comercialização. Este estudo se caracteriza por uma abordagem de síntese, tanto no nível temático quanto no nível das fontes de dados e métodos de análise, combinando-se análise espacial de dados estatísticos (Produção Agrícola Municipal - PAM, Cadastro Central de Empresas - Cempre e outras pesquisas do IBGE, além de outras fontes oficiais, como o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e outros) com pesquisas de campo e bibliográfica, para retratar, de maneira abrangente e integrada, o território que a cana-de-açúcar ajuda a construir no Brasil.

Com o lançamento da presente publicação, o IBGE dá continuidade à divulgação de resultados do projeto Dinâmica Territorial da Produção Agropecuária, que tem por objetivo acompanhar o deslocamento espacial de produtos selecionados do agro nacional que alcançaram expressão relevante no processo de reestruturação do espaço rural brasileiro. Em 2017, a cana-de-açúcar constitui o foco dessa linha de pesquisa, colocando em destaque um produto que moldou não só a história econômica do País, como também a sua identidade cultural, social e política e, ainda hoje, está no centro do entendimento contemporâneo da dinâmica territorial da produção agropecuária brasileira.

Trata-se de estudar o mundo geográfico da cana-de-açúcar, o sistema de lugares que essa socioeconomia cria: os lugares responsáveis pelo fornecimento de insumos e máquinas agrícolas, os lugares de cultivo, os lugares por onde se transporta a cana colhida e aqueles por onde se escoam os produtos derivados, os lugares de processamento industrial, os lugares de comercialização. Este estudo se caracteriza por uma abordagem de síntese, tanto no nível temático quanto no nível das fontes de dados e métodos de análise, combinando-se análise espacial de dados estatísticos (Produção Agrícola Municipal - PAM, Cadastro Central de Empresas - Cempre e outras pesquisas do IBGE, além de outras fontes oficiais, como o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e outros) com pesquisas de campo e bibliográfica, para retratar, de maneira abrangente e integrada, o território que a cana-de-açúcar ajuda a construir no Brasil.

Com a divulgação de A geografia da cana-de-açúcar espera-se contribuir para a produção de um quadro amplo e articulado de bases quantitativa e qualitativa do que tem sido nomeado, sob diferentes perspectivas e ao longo do tempo, de indústria rural, agroindústria, complexo agroindustrial, cadeia produtiva, circuito da produção, entre outras designações, transmitindo a noção da intensa relação intersetorial e de interesses que informam, na atualidade, a dinâmica territorial da produção agropecuária brasileira.

 

Sobre a publicação - 2017

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Principais resultados - 2017

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Downloads

Informações técnicas - 2017

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Parcerias

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Resoluções e legislação

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Saiba mais - 2017

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Métodos e documentos de referência - 2017

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Publicações - 2017

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Erramos

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Perguntas frequentes

    O que é a série Dinâmica Territorial da Produção Agropecuária?
    A série Dinâmica Territorial da Produção Agropecuária tem por objetivo acompanhar o deslocamento espacial e revelar a geografia contemporânea dos principais produtos desse importante segmento econômico. Para tal, foram selecionados aqueles que, ao longo do tempo, alcançaram uma expressão relevante na estruturação do espaço rural brasileiro. Nesse sentido, cabe lembrar a relevância que a questão da dinâmica territorial da produção agropecuária vem adquirindo no debate contemporâneo em torno das mudanças climáticas e das políticas de adaptação e mitigação a elas associadas, bem como das diversas formas de manejo dos solos e dos recursos hídricos que atendam a essa produção.

    Quais as pesquisas servem de insumo para essas análises?
    A Produção Agrícola Municipal - PAM, o Censo Agropecuário, a Pesquisa de Estoques e do Cadastro Central de Empresas - CEMPRE. Além dessas bases de dados internas, utilizam-se também as estatísticas sobre a exportação de commodities agrícolas oriundas da Secretaria de Comércio Exterior - SECEX.

    Qual o objetivo dessas análises?
    Espera-se contribuir para a produção de um quadro amplo e articulado de bases quantitativa e qualitativa do que tem sido nomeado, sob diferentes perspectivas e ao longo do tempo, de indústria rural, agroindústria, complexo agroindustrial, cadeia produtiva, circuito da produção, entre outras designações, transmitindo a noção da intensa relação intersetorial e de interesses que informam, na atualidade, a dinâmica territorial da produção agropecuária brasileira.

    Quais os produtos já foram lançados nessa série?
    Café e Cana-de-Açúcar.

    A sua dúvida não foi respondida aqui?
    Então entre em contato com a gente pelo ibge@ibge.gov.br ou pelo 0800-721-8181.