Nossos serviços estão apresentando instabilidade no momento. Algumas informações podem não estar disponíveis.

Modelo para conversão de altitudes geométricas (dadas pelos GNSS) em altitudes físicas (compatíveis com o Datum Vertical do SGB)

Sobre a publicação - hgeoHNOR2020

O modelo hgeoHNOR2020 fornece a separação entre o elipsoide de referência das altitudes geométricas em SIRGAS2000 e as superfícies de referência da realização REALT-2018 da componente vertical do Sistema Geodésico Brasileiro (SGB), isto é, os data verticais de Imbituba e Santana. Dessa forma, o fator para conversão extraído do modelo (η) permite a obtenção de altitudes normais modeladas (HNmod), compatíveis com o REALT-2018, a partir de altitudes geométricas (h) resultantes de medições GNSS em regiões onde não haja cobertura adequada da Rede Altimétrica de Alta Precisão (RAAP), isto é, onde não existam estações altimétricas do SGB:

HNmod = h - η

Cabe destacar que, apesar das altitudes físicas atuais da RAAP serem do tipo normal, sua superfície de referência não pode ser considerada equivalente ao quase-geoide global, pois foram mantidos os valores de referência dos data verticais de Imbituba e Santana

Da mesma forma, o modelo hgeoHNOR2020 não pode ser considerado um modelo gravimétrico do quase-geoide, não apenas pela particularidade anterior, mas também devido ao fato de não terem sido usadas as metodologias convencionais para modelagem do campo da gravidade. O hgeoHNOR2020 foi calculado mediante Colocação por Mínimos Quadrados (CMQ) a partir dos resíduos das alturas geoidais, extraídas do MAPGEO2015, em relação às diferenças entre as altitudes geométricas e normais, nas estações SAT-RN.

Portanto, o modelo absorve todas as características intrínsecas dessas três fontes de informação, incluindo as diferentes composições de erros, estratégias de tratamento da maré permanente etc., não podendo ser associado ao quase-geoide. Além disso, eventuais alterações de posição das estações, no período entre os dois tipos de levantamento (nivelamento e GNSS), podem afetar esse tipo de modelagem geométrica.

Assim, de modo a explicitar essa diferença, considera-se o fator para conversão η, fornecido pelo hgeoHNOR2020, como a adição daquelas influências intrínsecas (Δ) aos valores de separação entre quase-geoide global e elipsoide (ζ, anomalias de altitude): η = ζ + Δ.

O acesso ao modelo é feito por meio de um serviço de cálculo implementado neste portal, que facilita a obtenção dos fatores para conversão entre h e HN e respectivas incertezas. A submissão dos dados de entrada é feita diretamente por teclado (com resultado apresentado imediatamente na tela) ou, preferencialmente, via arquivo contendo a lista de coordenadas. Neste caso, os resultados são enviados ao endereço eletrônico informado, em três tipos de formatação (.txt, .csv, .kml). Neste serviço de cálculo, também foi implementada a comunicação direta com o serviço online para pós-processamento de dados GNSS (IBGE-PPP), também disponível neste portal, permitindo que os resultados do PPP mantenham-se consistentes com o modelo para conversão de altitudes.

Apenas os pontos situados no Território Nacional são submetidos aos processos de seleção das grades pertinentes e interpolação das respectivas grandezas por spline bicúbica. O desempenho do serviço de cálculo é condicionado, principalmente, por dois fatores: a verificação prévia dos polígonos (limites nacionais, área Santana e área oeste MAPGEO2015) e a interpolação propriamente dita. Para os pontos dentro dos limites nacionais, o desempenho é de aproximadamente 0,46 ms/ponto (aproximadamente 130 000 pontos/min), sendo 60% desse tempo consumido na interpolação.