Pesquisa de Assistência Médico-Sanitária - AMS

Menu do Produto

O que é

Traça o perfil da capacidade instalada e da oferta de serviços de saúde, tendo como unidade de investigação o estabelecimento de saúde que presta assistência à saúde individual ou coletiva, público ou privado, com ou sem fins lucrativos, em regime ambulatorial ou de internação, no Território Nacional, incluindo aqueles que realizam exclusivamente serviços de apoio à diagnose e terapia e controle regular de zoonoses, tais como: postos de saúde; centros de saúde; clínicas ou postos de assistência médica; prontos-socorros; unidades mistas; hospitais, inclusive os de corporações militares; unidades de complementação diagnóstica e/ou terapêutica; clínicas odontológicas; clínicas radiológicas; clínicas de reabilitação; e laboratórios de análises clínicas.

As estatísticas de saúde tiveram início em 1931, em todo o Território Nacional, com periodicidade anual, sob a responsabilidade do então Serviço de Estatística da Educação e Saúde. Em 1947, a coleta das informações passou a ser atribuição das Inspetorias Regionais de Estatísticas Municipais, enquanto a apuração, dos Departamentos Estaduais de Estatística. Em 1948, a Secretaria Geral do IBGE passou a desempenhar a função de órgão coordenador das fases de elaboração dessas estatísticas até o âmbito regional, e de coletor geral dos resultados da estatística em âmbito nacional. A partir de 1975, o Instituto assumiu, definitivamente, a responsabilidade pelo planejamento, coleta, apuração, sistematização e divulgação dos resultados da Pesquisa de Assistência Médico-Sanitária - AMS, cujo primeiro volume, no âmbito do IBGE, referiu-se às estatísticas de 1976. Ao longo do tempo, ocorreram diversas alterações metodológicas na pesquisa com vistas à ampliação do leque de variáveis investigadas e adequação aos dados do modelo proposto pelo Sistema Único de Cadastramento de Estabelecimentos de Saúde, entre outros aprimoramentos, dentre os quais destacam-se a coleta de dados de localização geográfica do estabelecimento, por meio do Global Positioning System - GPS, e a introdução do questionário on line, na edição de 2009, que permitiu ao informante a opção de realizar o preenchimento dos dados pela Internet.

A pesquisa fornece informações sobre o número de estabelecimentos de saúde existentes, por esfera administrativa, condição de funcionamento, categoria e tipo de atendimento; serviços oferecidos, por modalidade de agente financiador (SUS, particular e convênio); pessoal ocupado; leitos existentes e volume de internações nos estabelecimentos com internação; além de informações sobre os equipamentos médico-hospitalares em condições de uso nos estabelecimentos investigados, entre outros aspectos.

A periodicidade da pesquisa é eventual. Sua abrangência geográfica é nacional, com resultados divulgados para Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação e Municípios das Capitais.