Estatísticas de Empreendedorismo

Menu do Produto

O que é

Com o lançamento desta publicação, o IBGE traz a público seu mais recente estudo sobre o tema empreendedorismo, realizado com a colaboração técnica do Instituto Empreender Endeavor Brasil. As estatísticas são provenientes do Cadastro Central de Empresas - Cempre e das pesquisas econômicas anuais nas áreas de Indústria, Construção, Comércio e Serviços, também do IBGE, e contemplam informações sobre o segmento empresarial formalmente constituído da economia brasileira.

A publicação traz considerações sobre os procedimentos metodológicos adotados na elaboração do estudo, os aprimoramentos introduzidos e seus referenciais teóricos, além de notas sobre as bases de dados utilizadas. A análise dos resultados tem como objeto central as empresas de alto crescimento – aquelas com crescimento médio do pessoal ocupado assalariado de pelo menos 20% ao ano por um período de três anos consecutivos e com 10 ou mais pessoas ocupadas assalariadas no ano inicial de observação – e discorre sobre a performance destas no triênio de 2012 a 2014. Os comentários contextualizam o cenário econômico internacional e seus reflexos na economia brasileira no período considerado, traçam um panorama geral das empresas ativas no Brasil e detalham, em particular, aquelas de alto crescimento, com informações sobre número, porte, idade média, setores de atividade econômica, postos de trabalho assalariado, sexo e nível de escolaridade do pessoal ocupado, salários e outras remunerações, valor adicionado bruto, produtividade do trabalho, entre outras características. Seus resultados são pautados na Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.0.

Para além do recorte tradicional das edições anteriores, o estudo ora apresentado traz, adicionalmente, um aprofundamento da análise das empresas de alto crescimento contínuo, cujo universo é formado por aquelas com crescimento médio do pessoal ocupado assalariado de pelo menos 20% ao ano durante dois triênios seguidos – neste caso, 2009-2011 e 2012-2014. Esta edição também visou explorar a trajetória desse segmento entre 2005 e 2008, em um espaço de tempo, portanto, anterior ao de alto crescimento contínuo, com o objetivo de compreender melhor a resiliência de tais empresas em relação às demais, justo em um período de menor dinamismo econômico.

Ao final da publicação, um glossário com os termos e conceitos considerados relevantes contribui para a compreensão dos resultados.

O conjunto dessas informações, também disponibilizado no portal do IBGE na Internet, concorre para o debate sobre a dimensão e a importância do empreendedorismo no País, assunto de relevância cada vez mais acentuada na economia, tanto em nível nacional quanto global.

Sobre a publicação - 2015

Com o lançamento desta publicação, o IBGE traz a público seu mais recente estudo sobre o tema empreendedorismo, realizado, como nas edições pregressas, com a colaboração técnica do Instituto Empreender Endeavor Brasil. As estatísticas são provenientes do Cadastro Central de Empresas - CEMPRE e das pesquisas econômicas anuais nas áreas de Indústria, Construção, Comércio e Serviços, também do IBGE, e contemplam informações sobre o segmento empresarial formalmente constituído da economia brasileira.

A publicação traz considerações sobre os procedimentos metodológicos adotados na elaboração do estudo, os aprimoramentos introduzidos, os referenciais teóricos e conceituais, cujas definições são integradas às recomendações da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico - OCDE (Organisation for Economic Cooperation and Development - OECD), além de notas sobre as bases de dados utilizadas. A análise dos resultados tem como objeto central as empresas de alto crescimento – aquelas com crescimento médio do pessoal ocupado assalariado de pelo menos 20% ao ano por um período de três anos consecutivos e com 10 ou mais pessoas ocupadas assalariadas no ano inicial de observação – e discorre sobre a performance destas no triênio de 2013 a 2015. Os comentários contextualizam o cenário econômico internacional e seus reflexos na economia brasileira no período considerado, traçam um panorama geral das empresas ativas no Brasil e detalham, em particular, aquelas de alto crescimento, com informações sobre número, porte, idade média, setores de atividade econômica, postos de trabalho assalariado, sexo e nível de escolaridade do pessoal ocupado, salários e outras remunerações, valor adicionado bruto, produtividade do trabalho, entre outras características. Seus resultados são pautados na Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.0.

Para além do recorte tradicional das abordagens anteriores, o estudo ora apresentado focaliza, em especial, as empresas resilientes em 2015, cujo universo é formado pelas empresas de alto crescimento de 2014 que continuaram crescendo 20% ou mais no ano seguinte. Traçar esse perfil, cabe destacar, permite conhecer quais segmentos empresariais continuaram crescendo e gerando novos postos de trabalho em um cenário desfavorável ao desempenho econômico no Brasil.

Ao final da publicação, um glossário com os termos e conceitos considerados relevantes contribui para a compreensão dos resultados.

O conjunto dessas informações, também disponibilizado no portal do IBGE na Internet, concorre para o debate sobre a dimensão e a importância do empreendedorismo no País, assunto que tem relevância cada vez mais acentuada na economia, tanto em nível nacional quanto global.

Publicações complementares: 

Principais resultados - 2015

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Tabelas - 2015

Tabelas

Tabela 1.1 – Variáveis selecionadas das empresas de alto crescimento, segundo classificação de atividades para os anos de 2014 e 2015 - Brasil - xls | ods

Tabela 1.2 – Média de idade das empresas do total das empresas, das empresas de alto crescimento e gazelas, segundo atividades da CNAE 2.0 para o ano de 2014 e 2015 - Brasil - xls | ods

Tabela 1.3 – Ganho de pessoal ocupado assalariado entre 2012 e 2015, do total das empresas, empresas de alto crescimento e gazelas segundo as seções e divisões da classificação de atividades CNAE 2.0 - 2015 - Brasil - xls | ods

Tabela 1.4 – Salários, retiradas e outras remunerações do total de empresas, empresas de alto crescimento e gazelas, segundo as seções e divisões atividades CNAE 2.0 - 2015 – Brasil - xls | ods

 

Tabela 2.1 – Receita total, bruta, operacional líquida, valor adicionado e outras receitas das empresas de alto crescimento - 2014 e 2015 - Brasil - xls | ods

Tabela 2.2 – Receita total, bruta, operacional líquida, valor adicionado e outras receitas do total de empresas e de alto crescimento - 2015 - Brasil - xls | ods

Tabela 2.3 – Gastos de pessoal no total das empresas e nas empresas de alto crescimento - 2015 - Brasil - xls | ods

Tabela 2.4 – Custos e despesas das empresas de alto crescimento - 2015 - Brasil - xls | ods

Tabela 2.5 – Pessoal ocupado em 31.12, assalariado, não assalariado e número médio no ano das empresas de alto crescimento - 2015 - Brasil - xls | ods

Tabela 2.6 – Salários pagos por pessoal ocupado assalariado e produtividade das empresas de alto crescimento - 2015 - Brasil - xls | ods

Quadros sintéticos - 2015

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Microdados - 2015

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Informações técnicas

    Considerações metodológicas sobre a pesquisa podem ser obtidas no capítulo Notas técnicas de suas publicações de resultados.

    Séries históricas

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Microdados

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Portaria de precedência

    Downloads

    Conceitos e métodos - 2015

    As informações a seguir descrevem os metadados estatísticos, que são o conjunto de conceitos, métodos e aspectos relacionados às estatísticas, e são informações necessárias para compreender as características e a qualidade das estatísticas e interpretá-las corretamente.

    Informações Gerais

    Objetivo
    Produzir indicadores referentes às empresas e ao emprego, a partir da base de informações disseminadas pelo IBGE, com o objetivo de subsidiar a análise da performance empreendedora no Brasil.
    Tipo de operação estatística
    Estudo sobre empreendedorismo
    Tipo de dados
    Outro tipo de dados
    Periodicidade de divulgação
    Anual
    Abrangência geográfica
    Nacional
    População-alvo
    Foram consideradas as entidades empresariais (código de natureza jurídica iniciado por 2) formalmente constituídas, ou seja, com registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas - CNPJ da Receita Federal do Ministério da Fazenda. No universo das empresas empreendedoras, optou-se pela utilização das empresas de alto crescimento - aquelas com aumento médio de pessoal ocupado assalariado de pelo menos 20% ao ano, por um período de três anos, e com 10 ou mais pessoas ocupadas assalariadas no ano inicial de observação. Em 2010, o foco foram as empresas de alto crescimento orgânico, ou seja, empresa cujo aumento de pessoal ocupado foi feito através de contratações, e não por fusões ou incorporações. As empresas e as respectivas unidades locais foram classificadas de acordo com a principal atividade econômica desenvolvida, com base na Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.0. Para resultados obtidos do CEMPRE, o estudo abrange todas as seções da CNAE. Quando se tratar de variáveis advindas das pesquisas econômicas (valor adicionado bruto, produtividade e receita), o âmbito se restringe ao das pesquisas: - Pesquisa Anual de Serviços: atividade principal compreendida nas divisões 37, 39, 50, 52, 53, 55, 56, 58, 59, 60, 61, 62, 63, 66, 68, 71, 73, 74, 77, 78, 79, 80, 82, 90, 92, 93, 95 e 96, nos grupos 01.6, 02.3, 38.1, 38.2, 38.3, 45.2, 49.1, 49.2, 49.3, 49.4, 49.5, 51.1, 51.2, 69.2, 70.2, 81.2, 81.3, 85.5, 85.9, e nas classes 45.43, 69.11 e 81.11 da CNAE 2.0; - Pesquisa Industrial Anual: atividade principal compreendida nas seções B e C da CNAE 2.0; - Pesquisa Anual da Indústria da Construção: atividade principal compreendida na seção F da CNAE 2.0; - Pesquisa Anual de Comércio: atividade principal compreendida na seção G, à exceção do grupo 452 e da classe 4543-9.

    Metodologia

    Foram utilizadas informações provenientes do Cadastro Central de Empresas - CEMPRE e das pesquisas econômicas estruturais do IBGE nas áreas de Indústria, Construção Civil, Comércio e Serviços.
    O CEMPRE engloba registros de pessoas jurídicas inscritas no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ, da Secretaria da Receita Federal, independentemente da atividade exercida ou da natureza jurídica.

    Uma vez delimitado o conjunto de empresas de alto crescimento pelo CEMPRE, foi explorada a estrutura econômica dessas empresas nas pesquisas estruturais do IBGE (Pesquisa Industrial Anual - PIA; Pesquisa Anual da Indústria da Construção - PAIC; Pesquisa Anual de Comércio - PAC; e Pesquisa Anual de Serviços - PAS).
    As amostras das quatro pesquisas citadas foram selecionadas do respectivo Cadastro Básico de Seleção - CBS obtido a partir do CEMPRE, com empresas em situação ativa no ano de referência.

    Há limitação de âmbito quando se passa das variáveis do CEMPRE para as pesquisas econômicas. Toda a análise setorial feita para o porte, salário e número de empresas no CEMPRE se restringe quando se tratam de valor adicionado bruto e receita operacional líquida.Outra característica é referente à diferença entre as bases de dados do cadastro de empresas e das pesquisas econômicas. O CEMPRE representa o universo de empresas do país em um determinado ano. Portanto, os números absolutos dão conta de toda a economia brasileira para o ano-base em questão. Por outro lado, as pesquisas econômicas seguem modelos amostrais, o que significa que, uma vez identificadas as empresas de alto crescimento e gazelas nas pesquisas econômicas, cria-se um subconjunto que, na pesquisa, não contém todas as empresas daquele setor.

    A partir deste subconjunto, as estimativas para as empresas de alto crescimento do setor foram produzidas utilizando procedimento de pós-estratificação levando em conta o novo domínio, o universo de EAC proveniente do CEMPRE. Posteriormente, foram utilizados dois estimadores para a calibração dos pesos originais, dependendo do setor: estimador de total para subpopulações ou estimador de regressão. No caso do estimador de regressão, ajustaram-se os totais obtidos com o estimador de subpopulação aos totais populacionais de número de empresas, pessoal ocupado e salário dos novos domínios, disponíveis no cadastro básico de seleção.
    Para o caso da definição do conjunto de empresas de alto crescimento orgânico foi adotado um procedimento de crítica e validação dos dados baseado na identificação das EAC que passaram por alguma mudança estrutural no triênio de análise. Mudanças estruturais referem-se aos movimentos de cisão, fusão e incorporação. Estas mudanças na identidade legal das empresas alteram o número de empresas na população sem, necessariamente, modificar a capacidade produtiva existente. No entanto, do ponto de vista de cada empresa individual, tais movimentos são importantes para o entendimento da capacidade de criação de empregos.Por conta disso, a definição de alto crescimento orgânico exclui empresas que passaram por mudanças estruturais.

    Por fim, na exploração dos resultados regionais e por Unidades da Federação, por conta do caráter da definição de empresa de alto crescimento, optou-se por encontrar as Unidades Locais vinculadas às EAC, e, a partir deste conjunto, calcular os quantitativos por cada estado e Grande Região. Isso se dá pois não há um conceito sobre Unidades Locais de alto crescimento, o que significa que toda análise deve ser observada com foco central na empresa. Para a edição de 2010, optou-se por encontrar as unidades locais vinculadas às EAC orgânico.

    Principais Variáveis:
    As principais variáveis abordadas por esta pesquisa são referentes ao perfil econômico-contábil das empresas de alto crescimento, tal como sua idade, porte, setores de atividade, geração de novos postos de trabalho, pessoal ocupado, proporção de ocupação segundo sexo e escolaridade, salário médio, valor adicionado, produtividade do pessoal, receita operacional líquida, crescimento contínuo, entre outras.


    Técnica de coleta:
    Não se aplica, Transcrição de pesquisas estruturais econômicas

    Temas

    Temas e subtemas
    Estatísticas multidomínio, Empreendedorismo
    Principais variáveis
    As principais variáveis são referentes ao perfil econômico-contábil das empresas de alto crescimento, tal como sua idade, porte, setores de atividade, geração de novos postos de trabalho, pessoal ocupado, proporção de ocupação segundo sexo e escolaridade, salário médio, valor adicionado, produtividade do pessoal, receita operacional líquida, crescimento contínuo, entre outras.

    Unidades de informação

    Unidade de investigação
    Empresa, Unidade local
    Unidade de análise
    Empresa, Unidade local
    Unidade informante
    Empresa, Unidade local.

    Períodos de referência

    Triênio - 01/01/2013 a 31/12/2015

    Disseminação

    Formas de disseminação
    Publicação Digital (online), Publicação impressa com CD-ROM
    Nível de divulgação
    Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação.

    Histórico

    Foi realizada, em 2011, a primeira edição da publicação Estatísticas de Empreendedorismo, em parceria com o Instituto Empreender Endeavor Brasil. O estudo teve como objetivo investigar as empresas que se caracterizam como de alto crescimento - EAC, segundo o critério da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE, utilizando, para tanto, dados das divisões de Indústria, Comércio, Serviços e Construção do IBGE e do Cadastro Central de Empresas - CEMPRE, e contemplam informações sobre o segmento empresarial formalmente constituído da economia brasileira em 2008.
    Em 2012, foi lançada a segunda edição do relatório, com o objetivo de aprofundar a análise da dinâmica empreendedora no Brasil no período de 2008 a 2010, expandindo os temas abordados na primeira edição. Foram explorados os conceitos EAC orgânico, EAC total contínuo, gazelas 5 e 8, pessoal ocupado por sexo e nível de escolaridade.

    Saiba mais

    https://metadados.ibge.gov.br/consulta/estatisticos/operacoes-estatisticas/YZ

    Calendário

    Próximas divulgações

    Nenhuma divulgação futura


    Divulgações anteriores

    Nenhuma divulgação passada

    Publicações - 2015

    Material de apoio

    Nenhum material de apoio cadastrado para esse item

    Erramos

    Nenhum conteúdo disponível para exibição


    1º Prêmio Fotográfico
    Censo Agro 2017

    Veja e vote na fotografia mais bonita