Nossos serviços estão apresentando instabilidade no momento. Algumas informações podem não estar disponíveis.

Manual Técnico em Geociências

Sobre a publicação - Nº 13 – Avaliação da Qualidade de Dados Geoespaciais, 2ª edição

A constante evolução tecnológica vem propiciando à área de Geociências um aumento na produção, demanda, acesso e número de usuários de dados geoespaciais, cujo processo de elaboração envolve operações e métodos pautados em normas internacionais e especificações técnicas nacionais que visam a qualidade dos produtos gerados.

Com o lançamento da segunda edição do presente Manual Técnico em Geociências, o IBGE objetiva orientar as inspeções de qualidade de produtos geocientíficos para retratar a qualidade de seus dados geoespaciais. A abordagem deste Manual visa à inspeção de produtos cartográficos, e suas métricas podem ser aplicadas tanto no produto finalizado, quanto durante o processo de produção de qualquer área das Geociências. A edição ora disponibilizada incorpora atualizações, melhorias de abordagem e ajustes em relação à anterior, divulgada em 2017.

A publicação está estruturada em quatro capítulos. O primeiro, Qualidade de dados: uma abordagem geoespacial, apresenta uma visão geral do conceito de qualidade, a visão do produtor e a visão do usuário, a qualidade de um produto com representação geoespacial, normas e padrões para dados geoespaciais, bem como os elementos de qualidade de dados espaciais. O segundo capítulo, Amostragem aplicada a dados geoespaciais, aborda conceitos e métodos de amostragem utilizados na avaliação de dados espaciais, cabendo destacar o tópico referente à elaboração de planos de amostragem, com base em níveis de inspeção e conformidade, para estabelecer critérios de aprovação e reprovação da qualidade. O terceiro capítulo, Metodologia de avaliação da qualidade, sintetiza os conceitos abordados nos tópicos anteriores, descreve uma diretriz para a inspeção de qualidade de um produto geoespacial, tratando, ainda, da elaboração de catálogos de medidas de qualidade e relatórios de qualidade independentes. Por fim, o capítulo Metadados geoespaciais: informando a qualidade do produto cartográfico ao usuário ressalta a importância de relatar as aferições de qualidade nos metadados do produto. Os Apêndices que complementam a publicação trazem exemplos de medidas de qualidade, agrupadas segundo os aspectos de consistência lógica, completude, acurácias (posicional, temática, temporal) e usabilidade que devem ser avaliados em conjuntos de dados espaciais, considerando para tal produtos geocientíficos selecionados do IBGE.