Monitoramento da Cobertura e Uso da Terra

Menu do Produto

O que é

O Monitoramento da Cobertura e Uso da Terra do Brasil tem como objetivo espacializar e quantificar a cobertura e uso da terra de todo o território brasileiro a cada dois anos, permitindo a análise da dinâmica do território em termos dos processos de ocupação, da utilização da terra e de suas transformações. O trabalho resulta da interpretação de imagens de satélite, além de informações complementares e levantamentos de campo em todo o país.

Sobre - 2016 - 1:1 000 000

Mapa que tem como objetivos gerais, a representação do território Nacional ou por Unidades da Federação em termos dos processos de ocupação e da utilização da terra referente ao ano de 2016.

Acesso ao produto - 2016 - 1:1 000 000

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Principais resultados - 2016 - 1:1 000 000

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Downloads

Informações técnicas - 2016 - 1:1 000 000

Nota Explicativa – Revisão e substituição de dados

Desde o lançamento dos primeiros resultados, uma série de aprimoramentos metodológicos vêm sendo realizados, com destaque para três pontos que contribuíram para a melhoria substancial na forma de produção e divulgação dos dados: 1. adoção da Grade Estatística do IBGE (1km²) como unidade espacial básica de análise e divulgação dos dados; 2. substituição das imagens de satélite MODIS por imagens Landsat 8; e 3. alterações nas classes de cobertura e uso da terra.

A Grade Estatística traz como principais vantagens a estabilidade espaço-temporal e a possibilidade de integração e comparabilidade de dados geoespaciais e estatísticos. O uso da grade permite uma independência em relação aos limites político-administrativos, os quais estão frequentemente sujeitos a alterações. As possibilidades de integração vão desde mapas até dados alfa-numéricos de pesquisas demográficas, agropecuárias, entre outras. As imagens de satélite Landsat 8 possuem resolução espacial maior do que as imagens MODIS, ou seja, possuem mais detalhes e possibilitam melhor distinção entre os diversos elementos da superfície terrestre na interpretação visual das imagens, resultando em maior acurácia dos mapas.

Em relação às publicações anteriores, os dados lançados neste relatório apresentam alterações nas classes de cobertura e uso da terra devido a avanços conceituais. Como principais alterações, pode-se citar o aprimoramento da descrição e a redução de quatorze para doze classes em razão da junção de classes similares. As antigas classes de mosaicos em ambiente florestal, Mosaico de Área Agrícola com Remanescentes Florestais e Mosaico de Vegetação Florestal com Atividade Agrícola, foram agregadas à nova classe Mosaico de Ocupações em Área Florestal, pois a semelhança conceitual e visual entre elas suscitava inconsistências no mapeamento (ver tabela abaixo).

A antiga classe Pastagem Natural foi incorporada à classe Vegetação Campestre, pois ambas referiam-se às áreas naturais com vegetação campestre, diferenciado-se pela presença ou não de pastoreio. A detecção visual deste tipo de uso nas imagens é difícil, por isso a descrição da classe Vegetação Campestre foi atualizada considerando que as áreas campestres naturais podem estar sujeitas ao pastoreio e a outras interferências antrópicas de baixa intensidade.

Antigo Código Antiga Classe Novo Código Nova Classe
4 Mosaico de Área Agrícola com Remanescentes Florestais 4 Mosaico de Ocupações em Área Florestal
7 Mosaico de Vegetação Florestal com Atividade Agrícola
8 Vegetação Campestre 10 Vegetação Campestre 
10 Pastagem Natural


Os dados referentes a cobertura e uso da terra de 2016 são os primeiros a serem produzidos e publicados sob o novo molde de trabalho. Logo, para minimizar os impactos desses ajustes metodológicos na série histórica, realizou-se uma análise crítica e revisão dos dados publicados referentes a 2000, 2010, 2012 e 2014 visando a harmonização com os dados de 2016 e com a nova metodologia.

Diante disso, os dados publicados antes dos ajustes metodológicos referentes a 2000, 2010, 2012 e 2014 tornaram-se desatualizados e foram substituídos pelos arquivos revisados, que em conjunto com os dados de 2016 fornecem uma série histórica consistente que retrata as alterações da cobertura e uso da terra do Brasil.

Parcerias

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Resoluções e legislação

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Saiba mais - 2016 - 1:1 000 000

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Métodos e documentos de referência - 2016 - 1:1 000 000

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Publicações - 2016 - 1:1 000 000

Cobertura e uso da terra

Recursos Naturais e Estudos Ambientais

Cobertura e Uso da Terra

Introdução

Compreende atividades inerentes ao Mapeamento Sistemático do Uso da Terra. Tem como objetivos gerais, o recobrimento do país em termos da classificação dos tipos de uso, a análise dos impactos e a definição dos indicadores da qualidade ambiental. O desenvolvimento das atividades tem como base as experiências adquiridas pelas equipes da Coordenação de Geociências, no âmbito dos diagnósticos ambientais e, como referência internacional, o CORINE - Programa da CEE para compilação de dados sobre Uso e Cobertura da Terra e o monitoramento de mudanças.

Dinâmica da cobertura e uso no terra no Brasil, 2000 - 2016

Perdas e ganhos relativos a outros usos da terra

Escolha um uso da terra e um período

Área agrícola

perdeu (em Km2)
...
saldo total (em Km2)
...
ganhou (em Km2)
...
valores relativos de cada classe de cobertura e uso da terra

IBGE. Mudanças na Cobertura e Uso da Terra 2000 - 2010 - 2012 - 2014 - 2016, 2018.

Erramos

  • Substituição de arquivos vetoriais do Monitoramento da Cobertura e Uso da Terra do Brasil

    Data de publicação: 16/11/2018 06:11

    Descrição:
    Foram publicados, erroneamente, arquivos desatualizados sem informações referentes ao ano de 2016.
    Ações: Os arquivos foram substituídos no portal IBGE.

  • Substituição de arquivos vetoriais do mapa de Cobertura e Uso da Terra do Estado do Pará, escala 1:250.000

    Data de publicação: 14/02/2017 01:02

    Descrição: O mapa vetorial de Cobertura e Uso da Terra do Estado do Pará foi publicado sem as devidas informações de projeção, ocasionando deslocamento em relação aos demais da série temática, que contempla várias Unidades da Federação, na escala de 1:250.000. Foi feita a substituição do produto, que agora traz as informações corretas: Projeção cônica equivalente de Albers; primeiro paralelo-padrão: -1°; segundo paralelo padrão: -28°; mediano central -54°; latitude de origem 5°. Foi mantido o datum original da época da produção, que foi SAD 1969.

    Ações: Os arquivos foram substituídos no portal IBGE.