Índices Especiais de Produção Física - Embalagens - PIMPF

Menu do Produto

O que é

A série de índices especiais de produção física de Embalagens foi construída, a partir de um recorte específico da Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF), com o objetivo de ampliar a capacidade de entendimento da evolução de um determinado segmento da indústria no curto prazo. Este indicador mostra os produtos da PIM-PF identificados com a produção de embalagens, gerando não só informações para o total agregado, mas também segundo sua origem (vidro, metal, madeira, papel e papelão e material plástico). A série tem início em janeiro de 2012.

Publicado em 05/01/2018 às 09:00

Principais Resultados - Novembro de 2017

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Tabelas - Novembro de 2017

Novembro de 2017

Tabela Resumo (Variação em %) - Novembro/ 2017

Grupos Selecionados Mensal (1) Acumulado (2) Últimos 12 meses (3)
Set Out Nov Jan-Set Jan-Out Jan-Nov Até Set Até Out Nov
Embalagens de Vidro
5,6
11,6
13,9
-1,0
0,2
1,4
-3,0
-1,6
-0,4
Embalagens de Metal
-4,2
1,0
3,0
-4,7
-4,1
-3,5
-4,1
-3,8
-3,0
Embalagens de Madeira
-0,4
14,7
10,1
-4,5
-2,7
-1,6
-6,1
-3,0
-1,7
Embalagens de Papel e Papelão
4,7
9,5
1,7
2,2
3,0
2,9
1,1
2,5
2,4
Embalagens de Material Plástico
4,5
8,3
7,7
2,5
3,1
3,5
-0,1
1,7
3,0
Total de Embalagens
3,0
7,6
4,9
0,6
1,3
1,6
-0,7
0,6
1,2

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria
 (1) Base: Igual mês do ano anterior
 (2) Base: Igual período do ano anterior
 (3) Base: Últimos 12 meses anteriores

Atualizada em 05/01/2018 às 9:00h

 

Índices de Base Fixa Mensal (em formato xls)

Publicado em 05/01/2018 às 09:00

Notas Técnicas - Novembro de 2017

Pesquisa Industrial Mensal Produção Física - Índices Especiais de Embalagens

Notas Metodológicas

O IBGE disponibiliza no seu portal índices especiais para o segmento de Embalagens. O objetivo geral desses índices especiais é, a partir de recortes específicos sobre a amostra de produtos da Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física - PIM-PF, ampliar a capacidade de entendimento da evolução deste segmento industrial no curto prazo. Neste caso, o objetivo é gerar índices que informem sobre o movimento da produção de embalagens, segundo a sua origem, buscando identificar o comportamento dos setores demandantes.

Os produtos foram agrupados sob a seguinte tipologia: Embalagens de Vidro; Embalagens de Metal; Embalagens de Madeira; Embalagens de Papel e Papelão; Embalagens de Material Plástico.

Nesse momento somente foram construídos resultados para o período da série da nova PIM-PF, ou seja, de janeiro de 2012 em diante e que serão atualizados mensalmente. São divulgadas as variações para os índices: Mensal, Acumulado no Ano e Acumulado nos Últimos 12 Meses. Também é disponibilizado o índice de Base Fixa Mensal, sendo que os demais índices podem ser obtidos pelo usuário a partir deste último.

O quadro abaixo apresenta a descrição dos produtos que compõem este índice, incluindo suas ponderações.

Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física
Local: Brasil
Indice Especial: EMBALAGENS
RELATÓRIO DE PRODUTOS
AGREGAÇÃO PRODUTO DESCRIÇÃO PESO FIXO
Embalagens de Vidro 2312.2030 Garrafas, garrafões e frascos de vidro para embalagem 0,2011

Embalagens de Metal

2441.2100 Folhas e tiras, delgadas, de alumínio (mesmo impressas ou com suporte), de espessura não superior a 0,2mm; papel alumínio 0,0379
2521.2080 Recipientes de ferro e aço para transporte ou armazenagem de gases comprimidos ou liqüefeitos (botijões de gás, tubos, etc.)  0,0487
2521.2120 Reservatórios, cubas e recipientes semelhantes de ferro e aço com capacidade superior a 300L, para armazenamento ou processamento de matérias sólidas 0,0072
2591.2020 Embalagens descartáveis de folhas de alumínio, utilizadas para acondicionar alimentos, tipo quentinhas 0,0234
2591.2030 Latas de alumínio para embalagem de produtos diversos 0,1465
2591.2040 Latas de ferro e aço para embalagem de produtos diversos com capacidade inferior a 50L, inclusive aerossol 0,1166
2591.2050 Recipientes tubulares flexíveis de alumínio 0,0110
2591.2090 Reservatórios, barris, tambores, latas (exceto para gases), de ferro e aço com capacidade igual ou superior a 50L e inferior a 300L, para embalagem ou transporte de produtos diversos 0,0181
2591.2100 Rolhas, tampas ou cápsulas metálicas, mesmo associadas a outras matérias 0,0642
Embalagens de Madeira 1623.2020 Caixotes, caixas, engradados, barricas e embalagens semelhantes de madeira 0,0352

Embalagens de Papel e Papelão

1731.5040 Sacos, sacolas e bolsas de papel, impressos ou não 0,0877
1731.7010 Embalagens diversas de papel (exceto sacos, sacolas e bolsas), impressas ou não 0,0805
1732.5010 Caixas ou outras cartonagens dobráveis de papel-cartão ou cartolina, impressas ou não 0,2998
1732.7030 Embalagens diversas de papel-cartão ou cartolina (exceto cartonagens dobráveis), impressas ou não 0,0541
1733.2010 Caixas de papelão ondulado ou corrugado, impressas ou não 0,4205
1733.2030 Chapas de papelão ondulado ou corrugado 0,0750

Embalagens de Material Plástico

1323.2060 Sacos, inclusive contentores flexíveis (big-bags) para embalagem, de matérias têxteis artificiais ou sintéticas, quando integrados à tecelagem 0,0344
2222.2040 Caixas, caixotes engradados e artigos semelhantes de plástico, para embalagens 0,0329
2222.2060 Cartuchos de plástico para embalagens 0,0396
2222.2130 Pré-formas (esboços) de garrafas plásticas, inclusive de garrafas PET 0,0768
2222.2140 Garrafas, garrafões, frascos e artigos semelhantes de plástico 0,2153
2222.2150 Rolhas, tampas, cápsulas e outros dispositivos de plástico para fechar recipientes 0,1004
2222.7070 Embalagens de plástico para produtos alimentícios ou bebidas (bisnagas, copos e semelhantes) 0,1346
2222.7170 Sacos, sacolas e bolsas de plástico de qualquer dimensão, para embalagem ou transporte, inclusive em bobinas 0,2473

Total de Embalagens

1323.2060 Sacos, inclusive contentores flexíveis (big-bags) para embalagem, de matérias têxteis artificiais ou sintéticas, quando integrados à tecelagem 0,0344
1623.2020 Caixotes, caixas, engradados, barricas e embalagens semelhantes de madeira 0,0352
1731.5040 Sacos, sacolas e bolsas de papel, impressos ou não 0,0877
1731.7010 Embalagens diversas de papel (exceto sacos, sacolas e bolsas), impressas ou não 0,0805
1732.5010 Caixas ou outras cartonagens dobráveis de papel-cartão ou cartolina, impressas ou não 0,2998
1732.7030 Embalagens diversas de papel-cartão ou cartolina (exceto cartonagens dobráveis), impressas ou não 0,0541
1733.2010 Caixas de papelão ondulado ou corrugado, impressas ou não 0,4205
1733.2030 Chapas de papelão ondulado ou corrugado 0,0750
2222.2040 Caixas, caixotes engradados e artigos semelhantes de plástico, para embalagens 0,0329
2222.2060 Cartuchos de plástico para embalagens 0,0396
2222.2130 Pré-formas (esboços) de garrafas plásticas, inclusive de garrafas PET 0,0768
2222.2140 Garrafas, garrafões, frascos e artigos semelhantes de plástico 0,2153
2222.2150 Rolhas, tampas, cápsulas e outros dispositivos de plástico para fechar recipientes 0,1004
2222.7070 Embalagens de plástico para produtos alimentícios ou bebidas (bisnagas, copos e semelhantes) 0,1346
2222.7170 Sacos, sacolas e bolsas de plástico de qualquer dimensão, para embalagem ou transporte, inclusive em bobinas 0,2473
2312.2030 Garrafas, garrafões e frascos de vidro para embalagem 0,2011
2441.2100 Folhas e tiras, delgadas, de alumínio (mesmo impressas ou com suporte), de espessura não superior a 0,2mm; papel alumínio 0,0379
2521.2080 Recipientes de ferro e aço para transporte ou armazenagem de gases comprimidos ou liqüefeitos (botijões de gás, tubos, etc.)  0,0487
2521.2120 Reservatórios, cubas e recipientes semelhantes de ferro e aço com capacidade superior a 300L, para armazenamento ou processamento de matérias sólidas 0,0072
2591.2020 Embalagens descartáveis de folhas de alumínio, utilizadas para acondicionar alimentos, tipo quentinhas 0,0234
2591.2030 Latas de alumínio para embalagem de produtos diversos 0,1465
2591.2040 Latas de ferro e aço para embalagem de produtos diversos com capacidade inferior a 50L, inclusive aerossol 0,1166
2591.2050 Recipientes tubulares flexíveis de alumínio 0,0110
2591.2090 Reservatórios, barris, tambores, latas (exceto para gases), de ferro e aço com capacidade igual ou superior a 50L e inferior a 300L, para embalagem ou transporte de produtos diversos 0,0181
2591.2100 Rolhas, tampas ou cápsulas metálicas, mesmo associadas a outras matérias 0,0642

Publicado em 24/08/2017 às 09:30
Atualizado em 05/01/2018 às 09:01

Séries históricas

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Microdados - Novembro de 2017

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Portaria de precedência

Divulgação dos resultados de indicadores conjunturais

 

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
GABINETE DO MINISTRO
PORTARIA Nº 355, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2007
(Publicada no Diário Oficial da União nº 213, Seção 1, de 06.11.2007)

 

O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II, do artigo 87 da Constituição Federal, resolve:

Art. 1º - A divulgação dos resultados de indicadores conjunturais produzidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE seguirá as seguintes etapas:

I - às sete horas do dia da divulgação serão encaminhados os resultados, acompanhados de um sumário-executivo elaborado pelo IBGE, para as autoridades da lista de precedência;

II - às nove horas do dia da divulgação serão encaminhados os resultados para os órgãos de imprensa e disseminados na Internet, através do sítio https://www.ibge.gov.br.

§ 1º. Os técnicos do IBGE estarão disponíveis para prestar esclarecimentos aos usuários sobre os resultados da pesquisa divulgada a partir do encaminhamento de que trata o inciso II do caput.

§ 2º. O disposto nesta portaria aplica-se a qualquer indicador conjuntural produzido pelo IBGE, especialmente aos seguintes:

I - Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC);

II - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA);

III - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E);

IV - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15);

V - Pesquisa Mensal de Emprego (PME);

VI - Contas Nacionais Trimestrais;

VII - Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil);

VIII - Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional);

IX - Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário - (PIMES);

X - Pesquisa Mensal de Comércio (PMC);

XI - Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI);

XII - Conjuntura Agropecuária (Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal; Pesquisa Trimestral de Abate de Animais; Pesquisa Trimestral de Leite; Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha; Pesquisa Trimestral do Couro).

Art. 2° - A relação das autoridades constantes da lista de precedência específica a cada pesquisa de indicadores conjunturais, será divulgada por intermédio de Nota Oficial da Instituição e disseminada no portal do IBGE na Internet, através do sítio https://www.ibge.gov.br

Art. 3º - As autoridades constantes da lista de precedência deverão observar o mais rigoroso sigilo das informações referentes aos indicadores de que trata esta Portaria, nos termos do disposto na Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

Art. 4º - Revogam-se as Portarias nº 164/MP, de 20 de dezembro de 1999, e nº 167/MP, de 5 de setembro de 2003.

Art. 5º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

 

PAULO BERNARDO SILVA 


 O IBGE divulga a relação das autoridades que recebem com precedência os resultados das pesquisas conjunturais produzidas por esta Instituição: 

Ministro de Estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Dyogo Henrique de Oliveira

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
  • Contas Nacionais Trimestrais
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
  • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
  • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
  • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
  • Conjuntura Agropecuária
    • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
    • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
    • Pesquisa Trimestral de Leite
    • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
    • Pesquisa Trimestral do Couro
  • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

 

Ministro de Estado da Fazenda - Henrique de Campos Meirelles

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
  • Contas Nacionais Trimestrais
  • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
  • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
  • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
  • Conjuntura Agropecuária
    • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
    • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
    • Pesquisa Trimestral de Leite
    • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
    • Pesquisa Trimestral do Couro
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física - Brasil (PIM-PF Brasil)
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
  • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

 

Ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Borges Maggi

  • Conjuntura Agropecuária
    • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
    • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
    • Pesquisa Trimestral de Leite
    • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
    • Pesquisa Trimestral do Couro
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

 

Ministro de Estado da Indústria, Comércio e Serviços - Marcos Antônio Pereira

  • Contas Nacionais Trimestrais
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física - Brasil (PIM-PF Brasil)
  • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
  • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

 

Ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República - Eliseu Lemos Padilha

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
  • Contas Nacionais Trimestrais
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
  • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
  • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
  • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
  • Conjuntura Agropecuária
    • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
    • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
    • Pesquisa Trimestral de Leite
    • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
    • Pesquisa Trimestral do Couro
  • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

 

Presidente do Banco Central - Ilan Goldfajn

  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
  • Contas Nacionais Trimestrais
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
  • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
  • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
  • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
  • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
  • Conjuntura Agropecuária
    • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
    • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
    • Pesquisa Trimestral de Leite
    • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
    • Pesquisa Trimestral do Couro
  • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

 

Presidente da Caixa Econômica Federal - Gilberto Magalhães Occhi

    Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)

 

Ministro de Estado do Trabalho - Ronaldo Nogueira de Oliveira

  • Contas Nacionais Trimestrais
  • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

 

Diretor do Departamento de Estudos Econômicos e Pesquisas do Ministério do Turismo - José Francisco de Salles Lopes

  • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)

 

Roberto Luís Olinto Ramos
Presidente do IBGE
Atualizado em 8 de agosto de 2017

  

Divulgação dos resultados de indicadores estruturais

 

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
GABINETE DO MINISTRO
PORTARIA Nº 15, DE 27 DE JANEIRO DE 2005
(Publicada no Diário Oficial da União edição número 20 de 28/01/2005)

 

O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, INTERINO, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos I e II, da Constituição e considerando o disposto no art. 27, inciso XVII, alínea "c", da Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, resolve:

Art. 1º - Disciplinar os procedimentos a serem observados na divulgação dos resultados de indicadores estruturais produzidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE.

Art. 2º Os resultados serão encaminhados pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE ao Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, com antecedência mínima de quarenta e oito horas do horário fixado no art. 3º, inciso I, desta Portaria.

Art. 3º No dia da divulgação dos resultados dos indicadores de que trata esta Portaria, serão observados:

I - liberação para a imprensa e disponibilização pela Internet, no endereço: (https://www.ibge.gov.br), às 10 horas;

II - os técnicos do IBGE somente poderão prestar esclarecimentos sobre os resultados dos indicadores estruturais após a liberação e publicação na forma do inciso I.

Art. 4º Os servidores que tenham conhecimento prévio dos resultados deverão manter rigoroso sigilo, sob pena de responsabilidade nos termos da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

 

NELSON MACHADO

 

 

Downloads

Conceitos e métodos - Novembro de 2017

As informações a seguir descrevem os metadados estatísticos, que são o conjunto de conceitos, métodos e aspectos relacionados às estatísticas, e são informações necessárias para compreender as características e a qualidade das estatísticas e interpretá-las corretamente.

Objetivo

Principal objetivo do índice é servir como uma medida aproximada da evolução de curto prazo do valor adicionado da indústria, dado um determinado período de referência.

Tipo de operação estatística

Pesquisa de empresas

Tipo de dados

Dados de pesquisa por amostragem não probabilística

Periodicidade de divulgação

Mensal

Abrangência geográfica

Nacional

População-alvo

Unidades locais das empresas formalmente constituídas (ou seja, inscritas no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ, do Ministério da Fazenda) com pelo menos um empregado, compreendidas nas seções B e C (Indústrias extrativas e Indústrias de transformação, respectivamente) da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.0, sediadas no Território Nacional.

Metodologia

A primeira base de dados utilizada no desenho da amostra da pesquisa é fornecida pela PIA-Empresa, que permite a identificação das características estruturais da atividade industrial brasileira, medida pelo Valor de Transformação Industrial (VTI). Assim, estabelece-se o corte das atividades: separando-se as atividades que representam 80,0% do VTI, em cada um dos detalhamentos geográficos. A seguir, identificam-se os produtos responsáveis por cerca de, 80,0% do Valor Bruto da Produção Industrial da PIA-Produto, em cada uma das atividades fixadas. O conjunto de produtos escolhidos por este critério forma o que se denomina Lista de Produtos Selecionados (LPS), instrumento básico de levantamento das informações nas unidades escolhidas. Tendo sido estabelecidos seus produtos, escolhem-se, também pelo critério de importância, as unidades locais que os produzem. O critério mais geral adotado foi o de incluir as unidades locais que, juntas, respondem por, pelo menos, 70,0% da produção naquele local. O sistema de ponderação reflete a participação de atividades e produtos no VTI. Para as atividades, a base de ponderação dos indicadores, obtida da PIA-Empresa, é fixa, ancorada na estrutura do VTI referente ao ano de 2010; para os produtos, a base é obtida da PIA-Produto. O somatório dos pesos dos produtos compõe o peso da atividade, cuja soma corresponde aos pesos das seções (Indústrias Extrativas e de Transformação), as quais somadas totalizam a Indústria Geral. Como o índice não abrange o universo das atividades e produtos industriais, foi utilizado o recurso de distribuir o peso dos segmentos e produtos não representados no cálculo proporcionalmente à importância relativa dos que foram calculados. Nos procedimentos de cálculo dos índices, nos diversos níveis de agregação, é utilizada uma adaptação do método de Laspeyres de base fixa em cadeia, com atualização da ponderação. Há, no fim do processo, um procedimento de ajustamento sazonal para os índices de base fixa. Utiliza-se o X-12-ARIMA para dessazonalizar a indústria geral, seções e atividades industriais, e categorias de uso em nível nacional; para as regiões e estados, o ajuste sazonal ocorre somente para o indicador geral.
Técnica de coleta:
CASI - Questionário eletrônico autopreenchido, PAPI - Entrevista pessoal com questionário em papel

Temas

Temas e subtemas
Indústrias extrativas, Estatísticas econômicas setoriais, Indústrias de transformação
Principais variáveis
Quantidade produzida dos produtos da LPS.

Unidades de informação

Unidade de investigação
Unidade local
Unidade de análise
Unidade local.

Períodos de referência

Mês - 01/11/2017 a 30/11/2017
Data de início da coleta
01/12/2017
Data do fim da coleta
28/12/2017

Disseminação

Formas de disseminação
Banco de Dados Agregados - SIDRA, Publicação Digital (on line)
Nível de desagregação geográfica
Unidade da Federação
Nível de divulgação
São divulgados mensalmente índices para a Indústria Nacional, PIM-PF Brasil, e para aquelas Unidades da Federação cuja participação é de, no mínimo, 1% no total do VTI, PIM-PF Regional: Amazonas, Pará, Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Goiás e Região Nordeste.

Instrumentos de coleta

Histórico

A experiência do IBGE na elaboração de índices mensais de produção física data do início da década de 70. Os primeiros indicadores abrangiam 110 produtos e cerca de 1000 informantes, baseando-se em ponderações da Pesquisa Industrial Anual de 1968. Com a divulgação dos dados do Censo Industrial de 1970, ocorreu a primeira reformulação do sistema, cujos resultados se tornaram disponíveis a partir de 1975. Os novos índices passaram a incorporar cerca de 600 produtos, 2500 empresas informantes e ponderações do Censo de 1970.
Outra reformulação foi implementada tendo como base as informações da Pesquisa Industrial Anual de 1978 e do Censo Industrial de 1980. O painel desta pesquisa contemplava 736 produtos em 8300 estabelecimentos, o que correspondia a cerca de 5000 empresas, gerando 15200 informações mensais. Os índices eram representativos em nível de Brasil, regiões Nordeste e Sul, e algumas Unidades da Federação: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Para os estados de Pernambuco, Bahia, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul a amostra de produtos e informantes era derivada das regiões Nordeste e Sul.
Uma nova amostra da pesquisa passou a utilizar informações do Censo Industrial de 1985, do qual foram escolhidos 944 produtos fabricados em 8500 estabelecimentos de 6200 empresas, totalizando aproximadamente 12800 informações mensais. Os índices eram representativos em nível Brasil, regiões Nordeste e Sul, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em 1998, passou-se a divulgar também índices para o estado do Ceará que são, basicamente, subproduto do painel da região Nordeste, e em 1999, índices para o estado do Espírito Santo, como subproduto do painel Brasil.
A partir de abril de 2004 teve início a divulgação de uma nova série de índices mensais da produção industrial, elaborados com base na Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF) reformulada. Essa reformulação cumpriu os seguintes objetivos: atualizar a amostra de atividades, produtos e informantes; elaborar uma nova estrutura de ponderação dos índices com base em estatísticas industriais do triênio 1998/2000; adotar, na PIM-PF, as novas classificações, de atividades (CNAE, versão 1.0) e produtos (ProdList - Indústria), usadas pelas demais pesquisas da indústria a partir de 1996; e produzir indicadores para aquelas Unidades da Federação que no triênio 1998/2000 responderam por pelo menos 1% do Valor da Transformação Industrial e, também, para a Região Nordeste. A série reformulada teve início em janeiro de 2002 e sua implantação não implicou em ruptura de séries históricas, uma vez que a série anterior, com início em janeiro de 1991, foi encadeada à nova nos níveis de atividade, com quatro exceções (edição, impressão e reprodução de gravações; máquinas para escritório e equipamentos de informática; equipamento de instrumentação médico-hospitalar, ópticos e outros; e diversos), e categorias de uso.
Em 2014, a pesquisa é novamente reformulada e a partir de maio de 2014 são disseminadas as novas séries da produção industrial. A presente reformulação da PIM-PF revisa a anterior, trazendo o marco de referência para o ano de 2010. A atual reformulação cumpre os seguintes objetivos: a) adotar a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) versão 2.0; b) atualizar a amostra de setores, produtos e informantes (na nova versão a amostra passa a ter 944 produtos pesquisados em aproximadamente 7.800 unidades locais); c) atualizar a estrutura de ponderação dos índices com base em estatísticas industriais mais recentes, de forma a integrar-se às necessidades do projeto de implantação da Série de Contas Nacionais - referência 2010; e d) atualizar a infraestrutura tecnológica dos instrumentos de coleta, apuração e análise dos indicadores
As novas séries de índices da Produção Industrial - Brasil - resultam do encadeamento do painel da PIM-PF anterior (janeiro de 2002 a dezembro de 2011) e do novo painel de produtos e unidades locais, cujo levantamento retroagiu a janeiro de 2012), A implantação da nova versão da CNAE implicou na ruptura da série da atividade de impressão e reprodução de gravações e na criação da série da atividade de manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos.
A PIM-PF reformulada produz indicadores para todas as Unidades da Federação que, segundo a PIA - Empresa, respondiam por pelo menos 1,0% do Valor da Transformação Industrial no ano de 2010. Considerando esse critério, foram selecionadas as seguintes Unidades da Federação: Amazonas, Pará, Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Mato Grosso (incluído na nova série, a partir de 2012) e Região Nordeste.


Saiba mais

https://metadados.ibge.gov.br/consulta/dthPesquisa.aspx?codPesquisa=PZ

Calendário

Próximas divulgações

Nenhuma divulgação futura


Divulgações anteriores

Nenhuma divulgação passada

Publicações - Novembro de 2017

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Notícias e releases

Não há nenhuma notícia vinculada a este produto.

Material de apoio

Nenhum material de apoio cadastrado para esse item

Erramos

Nenhum conteúdo disponível para exibição