Nossos serviços estão apresentando instabilidade no momento. Algumas informações podem não estar disponíveis.

Demography of Enterprises

About - 2021

This publication describes the demographic pattern of the Brazilian formal enterprises, particularly entry, exit and survival movements in the market in 2021, as well as the profile of high-growth enterprises, due to their importance in the generation of salaried job posts, and of gazelle enterprises.  

The approaches are based on the Central Register of Enterprises - Cempre and, in the case of the statistics of entrepreneurship, they are also based on information of the annual surveys by enterprise carried out by the IBGE in the areas of Industry, Construction, Trade and Services for high-growth enterprises, i.e., those with an average increase in the number of salaried employed persons equal or greater than 20% per year, for a period of three years, and with 10 or more salaried employed persons in the first year of observation.

The study Demography of Enterprises presents the entry, exit and survival rates, according to the size and economic activity of the enterprises. It also brings information about salaried employed personnel, according to sex and schooling, by type of demographic event; a study of the evolution of survival, up to 2021, of entities born in 2016; an evolution analysis of the mobility by size of those surviving since 2012; and considerations on the dynamics of entry and exit of local branches of surviving enterprises, with an assessment of regional results, including on the survival of branches born in 2011. Statistics of Entrepreneurship , in turn, focus on this subject through high-growth enterprises and gazelle enterprises, a subgroup comprising younger high-growth enterprises, between three and five years old in the reference year. The analysis, according to the size and economic activity, describes the impact of these entities on the generation of salaried jobs in the period between 2018 and 2021, as well as their share in the gross value added, labor productivity and net revenue in relation to those with 10 or more salaried persons in 2021.

Both studies were produced in accordance with the concepts defined in the documents EUROSTAT-OECD Manual on business demography statistics and Measuring entrepreneurship: a collection of indicators, of the OECD (Organization for Economic Cooperation and Development), which reflects the IBGE commitment to the international comparability of its statistics.

The publication includes technical notes with considerations on the methodological procedures used in this joint study, as well as a glossary with the terms and concepts considered relevant to the understanding of the results.

The complete table plan for both subjects is also made available on the IBGE web portal, including demographic events by Municipality of Capitals.

This set of information provides a valuable contribution to the governmental bodies and institutions of the civil society for developing and deepening other projects related to these subjects and, particularly, to the discussion on the dimension and importance of entrepreneurship in Brazil, an issue increasingly relevant in the economy, either at national or global level.


Complementary publications:
Statistics of the Central Register of Enterprises

Tables - 2021

Information from CEMPRE

Enterprises

Table 1.1 (xlsx | ods

Table 1.2 (xlsx | ods)

Table 1.3 (xlsx | ods)

Local Branches

Table 1.4 (xlsx | ods)

Table 1.5 (xlsx | ods)

Table 1.6 (xlsx | ods)

Job generation

Table 1.7 (xlsx | ods)

 

Information from Structural Surveys

Table 2.1 (xlsx | ods)

 

List of Tables

 

Chart 1 - Presentation of tables according to content (xlsx | ods)

Concepts and methods - 2021

As informações a seguir descrevem os metadados estatísticos, que são o conjunto de conceitos, métodos e aspectos relacionados às estatísticas, e são informações necessárias para compreender as características e a qualidade das estatísticas e interpretá-las corretamente.

Informações Gerais

Objetivo
A demografia das empresas tem como objetivo analisar aspectos da dinâmica demográfica do segmento formal das empresas brasileiras, com base nas informações do Cadastro Central de Empresas - CEMPRE, do IBGE. A partir do ano de referência de 2016, a publicação passa a contemplar também as Estatísticas de Empreendedorismo, destacando a importância das empresas de alto crescimento na geração de postos de trabalho assalariados formais e sua participação no valor adicionado bruto, na produtividade do trabalho e na receita líquida das empresas com 10 ou mais pessoas assalariadas. Com isso, a publicação conjunta passa a ter a denominação: "Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo".
Tipo de operação estatística
Estudo sobre demografia de empresas
Tipo de dados
Dados de Censo
Periodicidade de divulgação
Anual
População-alvo
Nesse estudo são consideradas informações das empresas formalmente constituídas e suas respectivas unidades locais. São analisadas apenas as entidades empresariais.

Metodologia


Até o estudo de 2006, a metodologia adotada seguia as indicações a seguir:

A identificação da entrada, da saída e da sobrevivência das empresas no estudo da Demografia das Empresas foi realizada através da comparação dos códigos de Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ das empresas existentes no final do ano anterior ao de referência no CEMPRE com aquelas existentes no final do ano de referência. Designou-se que:

- a empresa foi criada se o seu código de registro no CNPJ está ausente no cadastro do ano anterior e consta no cadastro do ano de referência.

- a empresa estava extinta se o seu código de registro no CNPJ está presente no cadastro do ano anterior e não consta no cadastro do ano de referência; e

- a empresa foi considerada sobrevivente se seu CNPJ existia nos dois anos, no anterior e no de referência.

Com base nas informações obtidas através da aplicação do critério acima descrito, foram calculadas as taxas de entrada, de saída e de sobrevivência das empresas.

A partir do estudo do ano de referência 2008 temos:

1) Mudança metodológica para identificação de unidades ativas, cujo critério de seleção se baseia agora na condição de atividade, que é um conjunto de indícios que avaliam de forma simultânea situações cadastrais das fontes de atualização no ano de referência, o número de pessoas assalariadas e o indicador de atividade da RAIS.
2) Utilização da CNAE - Classificação Nacional de Atividades Econômicas versão 2.0.
3) Inclusão de novas variáveis e mudanças metodológicas em algumas já existentes.
- Entrada de empresa/unidade local: o número de entrada refere-se ao número de empresas/unidades locais ativas no ano de referência, mas que não estavam ativas no ano anterior. Representam o conjunto formado pelo nascimento e pela reentrada (ou reativações) de empresas/unidades locais;
- Nascimento de empresa: ocorre quando uma empresa realmente inicia atividade. O número de nascimento de empresas é derivado da entrada e da remoção de reentradas. Não inclui entradas devido mudanças de atividade;
- Reentrada: ocorre quando uma unidade recomeça atividade após um período de interrupção temporária de pelo menos um ano. A reentrada pode ser desmembrada em dois tipos: reentrada proveniente de reativações reais da atividade econômica e as provenientes de falhas no preenchimento do registro administrativo;
- Saída de empresa/unidade local: refere-se ao número de empresas/unidades locais que não estavam ativas no ano de referência, mas que estavam ativas no ano anterior;
- Sobrevivência: uma unidade é considerada sobrevivente se ela está ativa no ano de referência e no ano anterior;
- Empresa de alto crescimento: trata-se da empresa com crescimento médio de pessoal ocupado assalariado igual ou maior que 20% ao ano, por um período de três anos. Foram consideradas empresas com 10 ou mais pessoas assalariadas no ano inicial de observação; e
- Empresa "gazela": é uma empresa de alto crescimento com até oito anos de idade no ano de referência.

A partir do ano de referência 2011, todo o processo de apropriação de registros da RAIS passou a ser feito a partir dos registros individualizados dos empregados.

Ressalta-se que a utilização do CEMPRE apresenta a impossibilidade, até o momento, de tratar as mudanças nos arranjos corporativos das empresas (fusões, cisões etc.).

A partir do ano de referência 2016, para a realização desse estudo, foram utilizadas informações provenientes do CEMPRE e das pesquisas estruturais por empresas do IBGE nas áreas de Indústria, Construção, Comércio e Serviços. Uma vez delimitado o conjunto de empresas de alto crescimento a partir das informações existentes no CEMPRE, pode-se explorar a estrutura econômica destas nas seguintes pesquisas estruturais por empresas do IBGE: Pesquisa Industrial Anual - Empresa - PIA - Empresa; Pesquisa Anual da Indústria da Construção - PAIC; Pesquisa Anual de Comércio - PAC; e Pesquisa Anual de Serviços - PAS.

Também a partir do ano de referência 2016 temos uma mudança metodológica na variável Empresa "gazela": empresa de alto crescimento com até cinco anos de idade no ano de referência.
Técnica de coleta:
CATI - Entrevista por telefone assistida por computador, Transcrição de documento administrativo, Transcrição de pesquisas estruturais econômicas

Temas

Temas e subtemas
Estatísticas multidomínio, Outras estatísticas econômicas não especificadas anteriormente, Empreendedorismo
Principais variáveis
Até o ano de referência 2006:
- Densidade de criação das unidades locais
- Densidade restrita de criação das unidades locais
- Número de Empresas
- Idade da empresa
- Pessoal ocupado assalariado
- Pessoal ocupado total
- Salário médio mensal
- Taxa de entrada no mercado
- Taxa de saída do mercado
- Taxa de sobrevivência
- Número de Unidades locais
- Unidade sobrevivente

A partir do estudo do ano de referência 2008:
- Número de Empresas
- Empresa de alto crescimento
- Empresa "gazela"
- Entrada
- Idade média das empresas
- Nascimento
- Pessoal ocupado assalariado
- Pessoal ocupado total
- Reentrada
- Saída
- Salário médio mensal
- Salário mínimo mensal médio
- Salário e outras remunerações
- Sobrevivência
- Taxa de empresas de alto crescimento
- Taxa de empresas "gazelas"
- Taxa de entrada das empresas
- Taxa de saída das empresas
- Taxa de sobrevivência das empresas
- Número de Unidades locais

A partir do estudo do ano de referência 2016:
- Empresa de alto crescimento
- Empresa "gazela"
- Entrada
- Geração de pessoal ocupado assalariado
- Idade média das empresas
- Nascimento
- Número de empresas
- Número de unidades locais
- Pessoal ocupado assalariado
- Pessoal ocupado total
- Produtividade
- Receita bruta
- Receita operacional líquida
- Reentrada
- Saída
- Salário médio mensal
- Salário mínimo mensal médio
- Salário e outras remunerações
- Sobrevivência
- Taxa de empresas de alto crescimento
- Taxa de empresas "gazelas"
- Taxa de entrada das empresas
- Taxa de saída das empresas
- Taxa de sobrevivência das empresas
- Valor adicionado bruto

Unidades de informação

Unidade de investigação
Unidade local, Empresa
Unidade de análise
Empresa, Unidade local
Unidade informante
Empresa, Unidade local.

Períodos de referência

Ano - 01/01/2021 a 31/12/2021

Disseminação

Formas de disseminação
Publicação Digital (online), Banco de Dados Agregados - SIDRA
Nível de desagregação geográfica
Município
Nível de divulgação
Até 2006, Brasil, Grandes Regiões e UFs. A partir de 2008, foram incluídos os municípios das capitais.

Histórico

O estudo da demografia das empresas teve início na publicação das Estatísticas do Cadastro Central de Empresas 2000 como parte integrante da análise dos resultados, onde manteve-se até 2004. Nos anos de referência 2005 e 2006, tornou-se uma publicação da série Estudos e Pesquisas, com base na CNAE 1.0. No ano de referência 2008, o estudo apresenta uma nova metodologia em virtude da adoção de novos critérios de seleção de empresas ativas no CEMPRE, da utilização da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.0 e da compatibilização de uma série de indicadores em conformidade com a metodologia internacional elaborada pela OCDE - Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico.
No estudo de 2008 são apresentadas, como nos anos anteriores, as taxas de entrada, saída e sobrevivência segundo o porte das empresas e as atividades econômicas, assim como a mobilidade das empresas por porte. Contudo, pela primeira vez, são mostradas informações sobre as empresas de alto crescimento e as empresas "gazelas" existentes na economia brasileira, além do seu impacto na geração de postos de trabalho assalariados formais entre 2005 e 2008. São apresentados também os resultados regionais. No estudo de 2009, além dos indicadores disponibilizados em 2008, foram incorporadas informações de sexo e nível de escolaridade do pessoal assalariado das empresas de alto crescimento na análise de resultados. A partir de 2016, o IBGE divulga um estudo conjunto que compreende a demografia das empresas formais brasileiras e as estatísticas de empreendedorismo.

Saiba mais

https://metadados.ibge.gov.br/consulta/estatisticos/operacoes-estatisticas/DE

Description

It describes the demographic pattern of the Brazilian formal enterprises, particularly entry, exit and survival movements in the market, whose concepts conform to the EUROSTAT-OECD Manual on Business Demography Statistics, published in 2007.

The Demography of Enterprises study began in 2005, from the information of the IBGE´s Central Register of Enterprises - CEMPRE, then based on the National Classification of Economic Activities - CNAE 1.0. As of the reference year of 2008, a new methodology was implemented, due to the new criteria to select active enterprises in CEMPRE, use of CNAE 2.0 and conformance of a number of indicators with the international methodology. Up to 2015, their results were released in specific publications. Both studies were combined in the Demography of Enterprises and Statistics of Entrepreneurship publication as of the reference year of 2016, due to the similarity of the databases used in the Statistics of Entrepreneurship study and scope of the business entities, as well as the need to optimize the IBGE resources aiming at the development of other thematic analyses.

The Demography of Enterprises study provides values and entry, exit and survival rates of the enterprises in the market, according to the size and economic activity of the enterprises, as well as sex and schooling level of the salaried persons employed in these enterprises, by demographic event.

The study is annual and the geographic coverage, national, with results released for Brazil, Major Regions, Federation Units and Municipalities of the Capitals.

Time series

#tabelasidra20179215254127

#tabelasidra201792152628653

#tabelasidra201792152714816

 

Downloads

Technical Information

Up to the reference year of 2015, methodological considerations on the Demography of Enterprises can be obtained in the chapter Technical Notes in the publication of the results. As of 2016, this information is presented in the same chapter, in the Demography of Enterprises and Statistics of Entrepreneurship publication.

News and Releases

Demography of Enterprises: in 2018, survival rate of enterprises was 84.1%

The survival rate (84.1%) represented 3.7 million enterprises remaining active in Brazil (out of a total...

22/10/2020

See more releases

Errata