Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

English Español
A- A+

Pesquisa Industrial Anual - Produto (PIA-Produto)

Histórico

A primeira Pesquisa Industrial Anual (PIA) foi realizada pelo IBGE em 1967, referente ao ano de 1966, com metodologia definida pelo Grupo Especial de Trabalho para as Estatísticas Industriais (GETEI), criado em 1964.

De 1966 a 1979, a Pesquisa Industrial foi censitária para um corte de valor da produção estipulado, atingindo cerca de 99 mil estabelecimentos em 1979, fornecendo resultados para Brasil e detalhamentos geográficos, dependendo do ano de referência, segundo classes, gêneros, subgrupos e grupos da classificação de atividades. Para esses anos apresentou-se resultados para cerca de 500 produtos industriais selecionados.

Em 1981 foi introduzida a amostragem probabilística de estabelecimentos, visando facilitar a coleta, agilizar a apuração dos dados e reduzir os prazos de divulgação de resultados. A amostra foi planejada para representar os Dados Gerais dos estabelecimentos para Brasil e Unidades da Federação e dar estimativas de produção física para os 736 produtos acompanhados na Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física, para efeito do cálculo de indicadores conjunturais. Possuía cerca de 28 mil estabelecimentos, sendo: 13 mil informantes exclusivos de Dados Gerais, 10 mil informantes de Produção Física e 5 mil informantes simultâneos de Dados Gerais e Produção Física. Foram divulgados resultados para 600 produtos. Este foi o último ano em que se divulgou resultados de volume e valor para produção física.

A partir de 1996, com o Programa de Modernização das Estatísticas Econômicas, a concepção do sistema de pesquisas econômicas é modificada e, neste contexto, a Pesquisa Industrial Anual é totalmente reformulada, passando a se desdobrar em duas pesquisas: a Pesquisa Industrial Anual – Empresa e a Pesquisa Industrial Anual – Produto. A série da primeira tem início em 1996 e a segunda, em 1998.

Objetivo

A Pesquisa Industrial Anual - Produto, PIA-Produto, tem como objetivo levantar informações sobre um conjunto de produtos e serviços industriais que cobrem uma parcela importante do setor industrial brasileiro.

Os objetivos principais da pesquisa são:

  • Disponibilizar informações abrangentes e atualizadas sobre a produção de bens e serviços industriais, com um grau de detalhe que permita o estudo de uma ampla seleção de produtos, a análise de seus mercados e a evolução de suas séries cronológicas.
  • Apresentar informações sobre a produção industrial que podem ser articuladas com os dados do comércio externo.

Unidade de investigação

A unidade de investigação da PIA-Produto é a unidade local produtiva industrial das empresas industriais pertencentes a amostra da PIA-Empresa.

Por unidade local industrial entende-se o espaço físico, geralmente uma área contínua, no qual uma ou mais atividades econômicas são desenvolvidas, correspondendo a um endereço de atuação da empresa cuja principal atividade provém da atividade industrial. A empresa industrial é a unidade jurídica caracterizada por uma firma ou razão social que engloba o conjunto de atividades econômicas exercidas em uma ou mais unidades locais, cuja principal receita provém da atividade industrial (atividade principal C ou D da CNAE).

Painel de informantes

Na seleção dos informantes da PIA-Produto utiliza-se amostragem intencional, com base no valor das expedições (Receita líquida de vendas industriais mais Valor das transferências de produtos e serviços) das unidades locais industriais produtivas. De modo geral, para cada classe da CNAE (4 dígitos), são selecionadas, na PIA-Empresa, as unidades locais produtivas industriais que representam 80% do total do valor das expedições da mesma classe.

Conceituação das variáveis econômicas tabuladas

Para cada produto são tabuladas as seguintes variáveis:

  • Número de informantes - total de unidades locais que informaram o produto;
  • Quantidade produzida no ano - soma das quantidades produzidas de todos os informantes do produto;
  • Valor da produção - para cada ocorrência de produto é calculado o seu valor de produção através da seguinte operação:

Valor da produção = (Valor das vendas / Quant. vendida) x Quant. produzida.

Quando apenas a quantidade produzida for informada, utiliza-se o preço médio do produto (Valor das vendas/Quant. vendida) da mesma empresa para o cálculo do valor da produção. Caso não haja, utiliza-se o preço médio do produto da unidade da federação em que a unidade local está localizada. Não havendo, adota-se o preço médio nacional.

Para os serviços e alguns produtos ligados à indústria farmacêutica, o valor das vendas é o próprio valor da produção.

O valor da produção total é a soma dos valores da produção de todos os informantes de um mesmo produto.

Vale lembrar que os produtos ainda sujeitos a novas etapas de processamento na própria empresa, podem apresentar valor da produção elevado em relação ao valor das vendas, isto é, as quantidades produzidas mais elevadas que as quantidades vendidas.

Nesse caso, o preço de venda, mesmo que de uma parcela pouco significativa, irá determinar toda a valoração não só daquela parcela vendida, mas de toda a produção da empresa. Exemplificando:

UL 1:

  • Quantidade produzida: 2.000 Kg
  • Quantidade vendida: 100 Kg
  • Valor das vendas: R$ 500,00

Com os dados acima, o preço médio das vendas é de R$ 5,00. Tomando esse preço, o valor da produção da UL 1 será de R$ 10.000 (R$ 5,00 x 2.000 KG).

Um exemplo de caso deste tipo é o do produto "Preparações utilizadas na alimentação de animais".

Tratamento especial foi dado ao produto "Óleos brutos de petróleo", para o qual foi informada apenas a quantidade produzida, uma vez que, nos anos 1998 e 1999 foi totalmente transferido para outras unidades locais da mesma empresa, não ocorrendo, portanto, comercialização. Usou-se, neste caso, um preço externo – o preço médio anual do petróleo importado fornecido pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), seguindo o procedimento usado nas Contas Nacionais. Cada mil metros cúbicos(m3) do produto tem o valor de R$ 69.140,00 em 1998 e R$ 61.860,00.em 1999.

A unidade de investigação é a própria empresa industrial.