Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Menu do Produto

O que é

A Pesquisa Mensal de Emprego, encerrada com a divulgação dos resultados de fevereiro de 2016, produzia indicadores mensais sobre a força de trabalho que permitiam avaliar as flutuações e a tendência, a médio e a longo prazos, do mercado de trabalho, nas suas áreas de abrangência, constituindo um indicativo ágil dos efeitos da conjuntura econômica sobre esse mercado, além de atender a outras necessidades importantes para o planejamento socioeconômico dessas áreas. Abrangia informações referentes à condição de atividade, condição de ocupação, rendimento médio nominal e real, posição na ocupação, posse de carteira de trabalho assinada, entre outras, tendo como unidade de coleta os domicílios.

A pesquisa foi iniciada em 1980, sendo submetida a uma revisão completa em 1982 e duas parciais, em 1988 e 1993, por meio das quais foram realizados ajustamentos restritos somente ao plano de amostragem. Em 2001, passou por um amplo processo de revisão metodológica visando não só à captação mais abrangente das características de trabalho e das formas de inserção da população ocupada no mercado de trabalho, como também à atualização da cobertura temática da pesquisa e sua adequação às mais recentes recomendações da Organização Internacional do Trabalho – OIT.

As principais alterações metodológicas introduzidas na revisão efetuada em 2001 referiam-se à implementação de mudanças conceituais no tema trabalho; ampliação da investigação com vistas ao melhor conhecimento da população ocupada e da população à procura de trabalho, entendendo-se como tal a tomada de providências efetivas para consegui-lo, tais como: contato estabelecido com empregadores, prestação de concurso, inscrição em concurso, consulta a agência de emprego, sindicato ou órgão similar, entre outras; além de alterações nos instrumentos e nos procedimentos de coleta, ressaltando-se, neste caso, a introdução da coleta eletrônica, bem como alterações no processo de expansão da amostra. A revisão tornou possível o aprofundamento da investigação e a agregação de alguns aspectos adicionais, permitindo estudos acerca de temas específicos, que contemplam características demográficas, sociais e econômicas do mercado de trabalho.

Sobre - Fevereiro 2016

Nenhum conteúdo disponível para exibição

Principais resultados - Fevereiro 2016

#seriehistorica201782155458997

#tabelasidra2017821654284

#seriehistorica20178216236880

 

 




Tabelas - Fevereiro 2016

Rendimento Médio Nominal

Região Metropolitana : RE, SAL, BH, RJ, SP E POA 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.170,10 2.242,90 2.227,50
Empregados no Setor Privado(**) 1.918,10 1.982,40 1.998,10
Empregados no Setor Público 3.392,70 3.641,10 3.658,50
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.979,90 2.045,60 2.055,40
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.552,80 1.598,10 1.631,90
Conta Própria 1.858,40 2.042,70 1.985,30
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.172,90 2.743,00 2.231,60
Empregados no Setor Privado(**) 1.923,50 2.567,70 2.003,90
Empregados no Setor Público 3.410,10 4.713,40 3.691,20
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.986,60 2.701,60 2.062,00
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.551,00 1.753,40 1.633,20
Conta Própria 1.844,10 2.120,00 1.965,70

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana : Salvador 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 1.702,20 1.619,20 1.653,60
Empregados no Setor Privado(**) 1.455,60 1.512,60 1.527,90
Empregados no Setor Público 3.408,90 3.170,20 3.421,80
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.551,50 1.611,10 1.608,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.041,20 1.064,50 1.144,10
Conta Própria 1.208,60 1.223,50 1.295,00
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 1.692,50 1.795,40 1.646,70
Empregados no Setor Privado(**) 1.452,70 1.725,90 1.524,90
Empregados no Setor Público 3.410,60 3.611,10 3.404,30
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.550,90 1.862,70 1.601,50
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.028,00 1.103,80 1.158,70
Conta Própria 1.203,40 1.248,20 1.282,80

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana : Belo Horizonte 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação: Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês- Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.021,90 2.006,70 2.073,40
Empregados no Setor Privado(**) 1.668,80 1.737,80 1.770,70
Empregados no Setor Público 3.471,70 3.193,60 3.520,50
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.715,40 1.805,40 1.815,60
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.356,30 1.259,30 1.430,00
Conta Própria 1.948,90 1.915,70 1.860,30
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.029,00 2.448,50 2.071,20
Empregados no Setor Privado(**) 1.679,80 2.221,10 1.768,80
Empregados no Setor Público 3.486,20 4.208,80 3.546,30
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.728,50 2.339,40 1.814,60
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.354,20 1.384,00 1.421,00
Conta Própria 1.929,70 2.014,10 1.836,40

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana : Recife
Idade Mínima: 10 anos
Especificação: Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 1.654,40 1.699,00 1.647,80
Empregados no Setor Privado(**) 1.396,40 1.390,80 1.375,00
Empregados no Setor Público 2.914,80 3.294,10 3.246,00
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.469,50 1.447,40 1.435,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 987,20 1.084,30 1.006,80
Conta Própria 1.270,00 1.270,00 1.229,80
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência-Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 1.656,20 2.301,80 1.660,00
Empregados no Setor Privado(**) 1.405,00 2.007,10 1.393,10
Empregados no Setor Público 2.919,20 4.827,90 3.302,20
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.478,50 2.157,10 1.457,40
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 993,20 1.195,60 999,40
Conta Própria 1.258,80 1.338,70 1.214,40

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana: Rio de Janeiro
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.391,00 2.432,20 2.434,90
Empregados no Setor Privado(**) 2.035,00 2.095,60 2.126,80
Empregados no Setor Público 3.934,40 4.101,70 4.272,80
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.114,30 2.166,60 2.203,00
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.595,40 1.691,50 1.671,80
Conta Própria 1.891,90 2.153,00 2.070,20
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.396,30 2.803,20 2.435,10
Empregados no Setor Privado(**) 2.039,00 2.520,40 2.129,30
Empregados no Setor Público 3.944,80 4.872,10 4.281,30
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.117,80 2.640,80 2.206,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.602,10 1.835,10 1.670,60
Conta Própria 1.895,60 2.237,20 2.056,40

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana: São Paulo 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.247,60 2.377,10 2.324,10
Empregados no Setor Privado(**) 2.085,80 2.148,50 2.160,50
Empregados no Setor Público 2.870,40 3.467,80 3.135,30
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.137,70 2.199,70 2.208,50
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.760,00 1.821,10 1.841,00
Conta Própria 2.057,00 2.309,90 2.238,30
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.250,60 2.979,10 2.327,80
Empregados no Setor Privado(**) 2.091,60 2.863,20 2.166,10
Empregados no Setor Público 2.877,80 4.773,00 3.148,60
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.144,10 2.995,10 2.214,70
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.762,10 2.019,30 1.842,50
Conta Própria 2.038,50 2.394,60 2.221,50

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana: Porto Alegre
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.148,30 2.257,10 2.278,80
Empregados no Setor Privado(**) 1.743,40 1.868,40 1.851,30
Empregados no Setor Público 3.661,10 3.835,60 4.051,00
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.780,00 1.928,50 1.892,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.527,20 1.467,20 1.574,10
Conta Própria 1.978,30 2.101,80 2.170,70
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.150,70 2.866,60 2.306,50
Empregados no Setor Privado(**) 1.748,50 2.556,40 1.875,30
Empregados no Setor Público 3.759,60 5.218,00 4.249,40
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.792,50 2.697,20 1.918,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.488,10 1.615,00 1.584,70
Conta Própria 1.914,90 2.159,00 2.109,80

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

Rendimento Médio Real

Região Metropolitana : RE, SAL, BH, RJ, SP E POA 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.407,53 2.262,51 2.227,50
Empregados no Setor Privado(**) 2.127,96 1.999,73 1.998,10
Empregados no Setor Público 3.763,90 3.672,93 3.658,50
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.196,52 2.063,48 2.055,40
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.722,69 1.612,07 1.631,90
Conta Própria 2.061,73 2.060,56 1.985,30
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.438,86 2.813,93 2.251,11
Empregados no Setor Privado(**) 2.158,93 2.634,10 2.021,42
Empregados no Setor Público 3.827,49 4.835,29 3.723,47
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.229,76 2.771,46 2.080,02
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.740,84 1.798,74 1.647,48
Conta Própria 2.069,82 2.174,82 1.982,88

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana : Salvador 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação: Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 1.890,05 1.643,65 1.653,60
Empregados no Setor Privado(**) 1.616,24 1.535,44 1.527,90
Empregados no Setor Público 3.785,11 3.218,07 3.421,80
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.722,72 1.635,43 1.608,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.156,11 1.080,57 1.144,10
Conta Própria 1.341,98 1.241,97 1.295,00
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 1.909,54 1.860,24 1.671,57
Empregados no Setor Privado(**) 1.638,99 1.788,23 1.547,93
Empregados no Setor Público 3.847,96 3.741,51 3.455,70
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.749,78 1.929,97 1.625,68
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.159,83 1.143,66 1.176,20
Conta Própria 1.357,72 1.293,28 1.302,17

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana : Belo Horizonte 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação: Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês- Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.223,65 2.023,76 2.073,40
Empregados no Setor Privado(**) 1.835,32 1.752,57 1.770,70
Empregados no Setor Público 3.818,12 3.220,75 3.520,50
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.886,57 1.820,75 1.815,60
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.491,64 1.270,00 1.430,00
Conta Própria 2.143,37 1.931,98 1.860,30
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.248,42 2.505,12 2.088,81
Empregados no Setor Privado(**) 1.861,46 2.272,46 1.783,83
Empregados no Setor Público 3.863,21 4.306,12 3.576,44
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.915,42 2.393,49 1.830,02
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.500,65 1.416,00 1.433,08
Conta Própria 2.138,38 2.060,67 1.852,01

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana : Recife 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação: Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 1.839,43 1.726,35 1.647,80
Empregados no Setor Privado(**) 1.552,58 1.413,19 1.375,00
Empregados no Setor Público 3.240,80 3.347,14 3.246,00
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.633,85 1.470,70 1.435,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.097,61 1.101,76 1.006,80
Conta Própria 1.412,04 1.290,45 1.229,80
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 1.870,16 2.373,24 1.686,73
Empregados no Setor Privado(**) 1.586,51 2.069,39 1.415,53
Empregados no Setor Público 3.296,32 4.977,74 3.355,37
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.669,50 2.224,05 1.480,86
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.121,51 1.232,71 1.015,49
Conta Própria 1.421,42 1.380,25 1.233,95

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana : Rio de Janeiro 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.662,80 2.449,71 2.434,90
Empregados no Setor Privado(**) 2.266,33 2.110,69 2.126,80
Empregados no Setor Público 4.381,64 4.131,23 4.272,80
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.354,64 2.182,20 2.203,00
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.776,76 1.703,68 1.671,80
Conta Própria 2.106,96 2.168,50 2.070,20
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab. Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.698,85 2.890,30 2.452,63
Empregados no Setor Privado(**) 2.296,44 2.598,71 2.144,63
Empregados no Setor Público 4.442,87 5.023,48 4.312,13
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.385,19 2.722,85 2.222,08
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.804,38 1.892,12 1.682,63
Conta Própria 2.134,94 2.306,71 2.071,21

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana: São Paulo 
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.486,99 2.393,74 2.324,10
Empregados no Setor Privado(**) 2.307,95 2.163,54 2.160,50
Empregados no Setor Público 3.176,12 3.492,07 3.135,30
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.365,38 2.215,10 2.208,50
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.947,45 1.833,85 1.841,00
Conta Própria 2.276,09 2.326,07 2.238,30
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab.Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.519,94 3.041,05 2.344,09
Empregados no Setor Privado(**) 2.341,91 2.922,74 2.181,26
Empregados no Setor Público 3.222,20 4.872,26 3.170,64
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.400,70 3.057,39 2.230,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.972,98 2.061,29 1.855,40
Conta Própria 2.282,46 2.444,40 2.237,05

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

 

 

Região Metropolitana : Porto Alegre
Idade Mínima: 10 anos
Especificação Estimativas - em reais
Habitualmente Recebido por Mês - Trab. Principal fev/15 jan/16 fev/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.406,81 2.279,22 2.278,80
Empregados no Setor Privado(**) 1.953,19 1.886,71 1.851,30
Empregados no Setor Público 4.101,65 3.873,19 4.051,00
Posição na Ocupação - Setor Privado(*) - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 1.994,19 1.947,40 1.892,20
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.710,97 1.481,58 1.574,10
Conta Própria 2.216,35 2.122,40 2.170,70
       
Efetivamente Recebido no Mês de Referência - Trab.Principal jan/15 dez/15 jan/16
Pessoas Ocupadas(*) 2.432,15 2.939,56 2.329,10
Empregados no Setor Privado(**) 1.977,31 2.621,47 1.893,68
Empregados no Setor Público 4.251,59 5.350,81 4.291,04
Posição na Ocupação - Setor Privado - Trab. Principal      
Empregados com Carteira de Trabalho Assinada(***) 2.027,07 2.765,85 1.937,00
Empregados sem Carteira de Trabalho Assinada(**) 1.682,84 1.656,10 1.600,23
Conta Própria 2.165,49 2.213,95 2.130,48

(*) Exclusive Trabalhadores Não Remunerados
(**) Exclusive Trabalhadores Domésticos e Trabalhadores Não Remunerados de Membro da Unidade Domiciliar que era Empregado
(***) Exclusive Trabalhadores Domésticos

População em idade ativa - PIA

População Economicamente Ativa - PEA

População Ocupada - PO

Pessoas Desocupadas - PD

População não Economicamente Ativa - PNEA

Rendimento Real Habitual do Trabalho Principal

Rendimento Nominal Habitual do Trabalho Principal

Rendimento Real Efetivamente Recebido do Trabalho Principal

Rendimento Nominal Efetivamente Recebido do Trabalho Principal

Tabelas com Variação

Quadros sintéticos - Fevereiro 2016

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Microdados - Fevereiro 2016

    Nenhum conteúdo disponível para exibição

    Informações técnicas

    Pesquisa Mensal de Emprego

    Fev. 2005 - Reponderação das estimativas calculadas através da Pesquisa Mensal de Emprego

     As projeções1 de população de cada região metropolitana são utilizadas como variável independente para ajuste das estimativas da PME2.

    Toda projeção de população, calculada através de método demográfico, deve passar por alterações na medida em que surjam novas informações de suas fontes de origem que são os resultados de censos demográficos, pesquisas domiciliares por amostragem ou estatísticas vitais. Como este método consiste em trabalhar separadamente cada componente demográfica, ou seja, a mortalidade, a fecundidade e os movimentos migratórios, faz-se necessária a revisão periódica das medidas e indicadores destes níveis à luz de novas informações.

    O IBGE disponibilizou, em outubro de 2004, a nova metodologia utilizada na elaboração das estimativas oficiais de população3 do Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação e Municípios, com data de referência em 1º de julho de cada ano civil, denominada Revisão 2004, a qual incorpora resultados dos parâmetros demográficos calculados com base nos resultados do Censo Demográfico de 2000, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios e das informações mais recentes das Estatísticas Vitais do Registro Civil. Estas estimativas têm importância fundamental para o cálculo dos indicadores sociodemográficos nos períodos intercensitários, além de servirem de fontes para as bases de informações de Ministérios e Secretarias Estaduais e Municipais da área social para a implementação de políticas públicas e avaliação de seus respectivos programas. Além disso, estas estimativas, em cumprimento a dispositivo constitucional, constituem o principal parâmetro para a distribuição, conduzida pelo Tribunal de Contas da União, das quotas partes relativas ao Fundo de Participação dos Estados e Municípios.

    Com a Revisão 2004, fez-se necessária a incorporação destas novas projeções nos fatores de expansão da amostra da Pesquisa Mensal de Emprego - PME. Com isso, a partir de janeiro de 2005, a PME passou a ter suas estimativas calculadas com base na Revisão 2004. Entretanto, para que fosse possível manter as comparações com os meses anteriores, foi necessário recalcular as estimativas já divulgadas com base nas novas projeções de população. Assim, a PME teve sua série histórica, que compreende os meses de março de 2002 a dezembro de 2004, retabulada. As alterações foram observadas, basicamente, nos valores absolutos.

    Os gráficos a seguir mostram o efeito da reponderação nos principais indicadores da PME.

     

    1Entende-se por projeção de população o conjunto de resultados provenientes de cálculos relativos à evolução de uma população, partindo-se, usualmente, de certos supostos com respeito ao curso que será seguido pela fecundidade, mortalidade e migrações.

    2IBGE, Série de Relatórios Metodológicos, Pesquisa Mensal de Emprego, volume 23. Rio de Janeiro, IBGE, 2002 74p.

    3IBGE, Projeção de População do Brasil por Sexo e Idade para o Período de 1980-2050- Revisão 2004- Metodologia e Resultados - Rio de Janeiro 82 p.

    Diretoria de Pesquisas
    22 de fevereiro de 2005

    Séries históricas

    #seriehistorica20175511514984

    #seriehistorica201755115257966

    #seriehistorica201755115353638

    Microdados

    Microdados consistem no menor nível de desagregação dos dados de uma pesquisa, retratando, sob a forma de códigos numéricos, o conteúdo dos questionários, preservado o sigilo das informações. Os microdados possibilitam aos usuários, com conhecimento de linguagens de programação ou softwares de cálculo, criar suas próprias tabelas.

    Os arquivos de microdados ora apresentados são acompanhados de uma documentação que fornece os nomes e os respectivos códigos das variáveis e suas categorias, a metodologia da pesquisa, e o instrumento de coleta.

    Microdados Reponderados

    Nota: Reponderação das estimativas da Pesquisa Mensal de Emprego 2002-2014

    Microdados Antes da Reponderação

    Portaria de precedência

    Divulgação dos resultados de indicadores conjunturais

     

    Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
    GABINETE DO MINISTRO
    PORTARIA Nº 355, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2007
    (Publicada no Diário Oficial da União nº 213, Seção 1, de 06.11.2007)

     

    O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II, do artigo 87 da Constituição Federal, resolve:

    Art. 1º - A divulgação dos resultados de indicadores conjunturais produzidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE seguirá as seguintes etapas:

    I - às sete horas do dia da divulgação serão encaminhados os resultados, acompanhados de um sumário-executivo elaborado pelo IBGE, para as autoridades da lista de precedência;

    II - às nove horas do dia da divulgação serão encaminhados os resultados para os órgãos de imprensa e disseminados na Internet, através do sítio https://www.ibge.gov.br.

    § 1º. Os técnicos do IBGE estarão disponíveis para prestar esclarecimentos aos usuários sobre os resultados da pesquisa divulgada a partir do encaminhamento de que trata o inciso II do caput.

    § 2º. O disposto nesta portaria aplica-se a qualquer indicador conjuntural produzido pelo IBGE, especialmente aos seguintes:

    I - Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC);

    II - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA);

    III - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E);

    IV - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15);

    V - Pesquisa Mensal de Emprego (PME);

    VI - Contas Nacionais Trimestrais;

    VII - Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil);

    VIII - Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional);

    IX - Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário - (PIMES);

    X - Pesquisa Mensal de Comércio (PMC);

    XI - Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI);

    XII - Conjuntura Agropecuária (Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal; Pesquisa Trimestral de Abate de Animais; Pesquisa Trimestral de Leite; Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha; Pesquisa Trimestral do Couro).

    Art. 2° - A relação das autoridades constantes da lista de precedência específica a cada pesquisa de indicadores conjunturais, será divulgada por intermédio de Nota Oficial da Instituição e disseminada no portal do IBGE na Internet, através do sítio https://www.ibge.gov.br

    Art. 3º - As autoridades constantes da lista de precedência deverão observar o mais rigoroso sigilo das informações referentes aos indicadores de que trata esta Portaria, nos termos do disposto na Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

    Art. 4º - Revogam-se as Portarias nº 164/MP, de 20 de dezembro de 1999, e nº 167/MP, de 5 de setembro de 2003.

    Art. 5º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

     

    PAULO BERNARDO SILVA 


     O IBGE divulga a relação das autoridades que recebem com precedência os resultados das pesquisas conjunturais produzidas por esta Instituição: 

    Ministro de Estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Esteves Pedro Colnago Júnior

    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Ministro de Estado da Fazenda - Eduardo Refinetti Guardia

    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física - Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
    • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Borges Maggi

    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Ministro de Estado da Indústria, Comércio e Serviços

    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física - Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Ministro-Chefe da Casa Civil da Presidência da República - Eliseu Lemos Padilha

    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Presidente do Banco Central - Ilan Goldfajn

    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E)
    • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15)
    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Brasil (PIM-PF Brasil)
    • Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM-PF Regional)
    • Pesquisa Mensal de Comércio (PMC)
    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)
    • Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)
    • Conjuntura Agropecuária
      • Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - mensal
      • Pesquisa Trimestral de Abate de Animais
      • Pesquisa Trimestral de Leite
      • Pesquisa Trimestral de Produção de Ovos de Galinha
      • Pesquisa Trimestral do Couro
    • Índice de Preços ao Produtor - Indústrias Extrativas e de Transformação (IPP)
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Presidente da Caixa Econômica Federal - Nelson Antônio de Souza

      Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI)

     

    Ministro de Estado do Trabalho - Hélton Yomura (Interino)

    • Contas Nacionais Trimestrais
    • Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

     

    Diretor do Departamento de Estudos Econômicos e Pesquisas do Ministério do Turismo - José Francisco de Salles Lopes

    • Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)

     

    Roberto Luís Olinto Ramos
    Presidente do IBGE
    Atualizado em 10 de abril de 2018

      

    Divulgação dos resultados de indicadores estruturais

     

    Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão
    GABINETE DO MINISTRO
    PORTARIA Nº 15, DE 27 DE JANEIRO DE 2005
    (Publicada no Diário Oficial da União edição número 20 de 28/01/2005)

     

    O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, INTERINO, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, incisos I e II, da Constituição e considerando o disposto no art. 27, inciso XVII, alínea "c", da Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, resolve:

    Art. 1º - Disciplinar os procedimentos a serem observados na divulgação dos resultados de indicadores estruturais produzidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE.

    Art. 2º Os resultados serão encaminhados pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE ao Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, com antecedência mínima de quarenta e oito horas do horário fixado no art. 3º, inciso I, desta Portaria.

    Art. 3º No dia da divulgação dos resultados dos indicadores de que trata esta Portaria, serão observados:

    I - liberação para a imprensa e disponibilização pela Internet, no endereço: (https://www.ibge.gov.br), às 10 horas;

    II - os técnicos do IBGE somente poderão prestar esclarecimentos sobre os resultados dos indicadores estruturais após a liberação e publicação na forma do inciso I.

    Art. 4º Os servidores que tenham conhecimento prévio dos resultados deverão manter rigoroso sigilo, sob pena de responsabilidade nos termos da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

    Art. 5º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

     

    NELSON MACHADO

     

     

    Downloads

    Conceitos e métodos - Fevereiro 2016

    As informações a seguir descrevem os metadados estatísticos, que são o conjunto de conceitos, métodos e aspectos relacionados às estatísticas, e são informações necessárias para compreender as características e a qualidade das estatísticas e interpretá-las corretamente.

    Objetivo

    O objetivo principal da pesquisa é produzir indicadores mensais sobre a força de trabalho das pessoas de 10 anos ou mais de idade (economicamente ativas e não economicamente ativas, em cada uma das regiões metropolitanas abrangidas pela pesquisa) que permitam avaliar as flutuações e a tendência, a médio e a longo prazos, do mercado de trabalho metropolitano. É um levantamento utilizado para dar indicativo ágil dos efeitos da conjuntura econômica sobre o mercado de trabalho, além de atender outras necessidades importantes para o planejamento socioeconômico do País.

    Tipo de operação estatística

    Pesquisa domiciliar de emprego

    Tipo de dados

    Dados de pesquisa por amostragem probabilística

    Periodicidade de divulgação

    Mensal

    Abrangência geográfica

    Nacional

    População-alvo

    Pessoas de 10 anos ou mais de idade residentes nas áreas urbanas das Regiões Metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e de Porto Alegre.

    Metodologia

    Pesquisa mensal realizada através de uma amostra probabilística de domicílios, estruturada de forma a garantir a representatividade dos resultados para cada região metropolitana investigada. Contempla um esquema de rotação das unidades domiciliares a fim de evitar o cansaço dos informantes. No esquema adotado, um determinado domicílio permanece na amostra durante quatro meses consecutivos, é retirado da amostra durante o intervalo de 8 meses seguintes e retorna por mais quatro meses.
    Plano amostral: a pesquisa utiliza uma amostra probabilística de domicílios, estratificada e conglomerada em dois estágios, para cada região metropolitana de abrangência da pesquisa. Cada um dos municípios e pseudomunicípios (conjuntos de municípios de menor porte em quantidade de domicílios segundo o Censo Demográfico mais recente disponível) corresponde, a um estrato independente de seleção, garantindo assim o espalhamento da amostra pela região metropolitana.
    Dentro de cada município ou pseudomunicípio é feita a seleção das unidades primárias de amostragem - UPAs e, posteriormente, das unidades secundárias de amostragem - USAs. As unidades primárias de amostragem são os setores censitários, enquanto as unidades secundárias de amostragem são as unidades domiciliares.
    Na seleção das unidades primárias e secundárias de amostragem da pesquisa revisada, implantada em 2001, foram adotadas a divisão territorial e a malha setorial vigentes em 1º de agosto de 2000 utilizadas para a realização do Censo Demográfico 2000.
    Seleção das unidades primárias de amostragem: a seleção dos setores é feita através de amostragem sistemática com probabilidade proporcional ao total de domicílios particulares ocupados, obtido pelo Censo Demográfico 2000.
    Seleção das unidades secundárias de amostragem: com base na listagem atualizada de unidades domiciliares nos setores selecionados, é feita a seleção das unidades domiciliares por meio de amostragem sistemática simples. Sendo assim essa seleção é feita a partir de intervalos de seleção fixos por setor.
    A pesquisa possui a priori aspectos de um plano amostral autoponderado dentro de cada região metropolitana. Isto implica que, em função do crescimento ou decrescimento natural do setor, verificado a cada realização da listagem, a quantidade de unidades domiciliares a serem selecionadas pode aumentar ou diminuir. Na amostra original de setores, foi feita uma redução na probabilidade final de seleção de unidades domiciliares, nos casos em que se constatou baixa proporção de unidades domiciliares ocupadas em relação ao total de unidades domiciliares no setor. Além disso, como nesta pesquisa há tratamento para não-resposta, a característica da autoponderação é perdida no momento da estimação de quantidades de interesse.
    Operação de Listagem: A operação de listagem é realizada para possibilitar a seleção das unidades domiciliares. Caracteriza-se pela construção de um cadastro atualizado que permite localizar, identificar e quantificar as unidades domiciliares existentes nos setores selecionados para a amostra. Para identificar a unidade domiciliar são coletadas variáveis de identificação, tais como: endereço, nome do morador e espécie do domicílio.
    Teoricamente um setor selecionado para a pesquisa no início da década permanece na amostra por toda a década. Entretanto, podem ocorrer substituições em função de:
    · esgotamento de unidades domiciliares para seleção;
    · em caso de áreas de alta periculosidade; e
    · extinção da maioria das unidades domiciliares em função de inundações etc.
    A substituição de um setor é feita por outro com características semelhantes. As substituições implicam na realização da operação de listagem dos novos setores selecionados.
    A cada entrada de painel é realizada a operação de atualização de listagem, objetivando verificar as inclusões e exclusões ocorridas nos setores selecionados (em anos ímpares são realizadas duas operações de atualização de listagem e em anos pares apenas uma).
    Dimensão da amostra: Uma vez que, no momento em que foi necessário proceder à seleção da amostra de setores da pesquisa revisada, não se dispunha das informações do questionário da amostra do Censo Demográfico 2000, o que possibilitaria fazer o dimensionamento da amostra para a PME, controlando a precisão desejada de uma ou mais características consideradas como relevantes para a pesquisa, optou-se por dimensioná-la mantendo seu tamanho final, em número de unidades domiciliares, aproximadamente igual ao que vinha sendo investigado anteriormente.
    Assim, obteve-se a nova fração amostral, dividindo-se o total de unidades domiciliares pelo número desejado de unidades domiciliares na amostra e, fixando em 16 o número de unidades domiciliares a serem selecionadas em cada setor, chegou-se ao número de setores na amostra.
    Tamanho da amostra: aproximadamente 44 000 domicílios por mês.
    Para maiores detalhes acesse https://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme_nova/srmpme_2ed.pdf" target="_blank">https://www.ibge.gov.br/home/estatistica/
    indicadores/trabalhoerendimento/pme_nova/srmpme_2ed.pdf.
    Técnica de coleta:
    CAPI - Entrevista pessoal assistida por computador

    Temas

    Temas e subtemas
    Grupos populacionais específicos, Trabalho, Trabalho remunerado, Estatísticas multidomínio, Gênero, População
    Principais variáveis
    As principais variáveis investigadas na parte de educação são: alfabetização, se frequenta escola ou não, se já frequentou e curso de qualificação profissional.
    As principais variáveis investigadas na parte de trabalho são: classificação de atividade, formas de inserção no mercado de trabalho, características dos trabalhos principal e secundário(s), rendimento, previdência, horas trabalhadas, filiação a sindicato, ocupação, atividade, procura de trabalho e características do trabalho anterior.

    Unidades de informação

    Unidade de investigação
    Pessoa
    Unidade de análise
    Pessoa
    Unidade informante
    Pessoa.

    Períodos de referência

    Mês - 01/02/2016 a 29/02/2016

    Disseminação

    Formas de disseminação
    Publicação Digital (online), Microdados no Portal do IBGE
    Nível de divulgação
    Os dados são divulgados para cada uma das regiões metropolitanas separadamente (Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre) e para o conjunto delas.

    Instrumentos de coleta

    Histórico

    Implantada em janeiro de 1980 nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro e São Paulo, a Pesquisa Mensal de Emprego foi estendida às regiões metropolitanas de Porto Alegre e Belo Horizonte em abril e, em junho do mesmo ano, iniciada nas regiões metropolitanas de Recife e Salvador.
    Durante o período de janeiro de 1980 a janeiro de 1982, a Pesquisa Mensal de Emprego utilizou o desenho da amostra da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD. Após a realização do Censo Demográfico de 1980, com a obtenção de informações atualizadas sobre a dimensão da população a ser investigada, foram realizados estudos com vistas à reformulação da pesquisa, tanto no plano amostral como na parte conceitual da investigação.
    Em fevereiro de 1982 começou a implantação gradativa das reformulações efetuadas, terminada em maio do mesmo ano.
    Em 1988, motivados pela tentativa de solucionar problemas com a coleta (aumento das taxas de não-entrevista, sobrecarga da equipe de campo, desvio de supervisores para atividades de coleta etc) e, descartando a solução de contratação de pessoal para as equipes de campo, decidiu-se criar uma comissão para estudar e propor uma redução da amostra. A implantação da nova amostra ocorreu em agosto de 1988, assegurando a manutenção do desenho e aplicando-se uma redução de, aproximadamente, 30% no tamanho da amostra, com consequente perda de cerca de 20% em precisão.
    Em abril de 1996, foi investigado o suplemento: Associativismo; representação de interesses e intermediação política; e educação e trabalho. Em fevereiro de 1999, foi investigado o suplemento: Cor ou raça e origem.
    Em 2001, o IBGE realizou uma revisão da pesquisa em todos os seus aspectos metodológicos e processuais, para que a investigação se ajustasse à realidade atual e continuasse produzindo indicadores para a análise conjuntural do mercado de trabalho metropolitano, tendo sempre presente a comparabilidade internacional. Um dos motivos que levou a essa revisão foi atender as novas recomendações da Organização Internacional do Trabalho para a investigação da força de trabalho.
    Em Janeiro de 2003 os indicadores passaram a ser divulgados utilizando os dados da PME revisada, ou seja, sob a nova metodologia.

    Conforme anunciado pelo IBGE, em 14 de outubro de 2015, a Pesquisa Mensal de Emprego - PME será encerrada com a divulgação dos resultados referentes ao mês de fevereiro de 2016, o que ocorrerá no dia 23 de março de 2016.

    A PME foi implantada em 1980 e, desde então, com a divulgação mensal de seus indicadores, tem sido umas das principais fontes para o acompanhamento do comportamento conjuntural do mercado de trabalho nas seis maiores regiões metropolitanas do País. Tais indicadores permitiram, ao longo dos últimos 36 anos, avaliar as flutuações e as tendências da força de trabalho nas Regiões Metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre, estabelecendo-se como um indicativo ágil dos efeitos da conjuntura econômica na inserção da população no mercado de trabalho e, dessa forma, como um dos parâmetros para o planejamento socioeconômico do País.

    É no contexto do aprimoramento e avanço da produção de informações estatísticas, que o IBGE substitui os indicadores da PME pelos indicadores da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua. Com essa iniciativa, o IBGE vem atender à demanda por informações conjunturais sobre a força de trabalho com abrangência nacional, divulgando resultados sobre trabalho e rendimento, para Brasil, mensalmente, e, trimestralmente, para Brasil com detalhamento por Grandes Regiões, Unidades da Federação, Regiões Metropolitanas (que contêm os municípios das capitais) e Municípios das Capitais.

    A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua, implantada em janeiro de 2012, é um dos pilares do novo Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares - SIPD. Entre os principais objetivos dessa pesquisa encontra-se a produção de informações contínuas sobre a inserção da população no mercado de trabalho associadas a características demográficas e de educação, e, também, para o estudo do desenvolvimento socioeconômico do País, agregando a produção de resultados anuais sobre temas permanentes da pesquisa (como trabalho infantil, outras formas de trabalho, migração, fecundidade etc.), além de outros aspectos relevantes selecionados de acordo com as necessidades de informação. Assim, a PNAD Contínua engloba os objetivos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD e da Pesquisa Mensal de Emprego - PME.

    Com o encerramento da PME, a PNAD Contínua passará a ser a única pesquisa domiciliar do IBGE de referência para os indicadores oficiais de curto prazo sobre a força de trabalho do País, a partir da divulgação dos resultados do primeiro trimestre de 2016.

    Saiba mais

    https://metadados.ibge.gov.br/consulta/estatisticos/operacoes-estatisticas/PE

    Calendário

    Próximas divulgações

    Nenhuma divulgação futura


    Divulgações anteriores

    Nenhuma divulgação passada

    Publicações - Fevereiro 2016

    Notícias e releases

    Ver mais notícias

    Material de apoio

    Nenhum material de apoio cadastrado para esse item

    Erramos

    Nenhum conteúdo disponível para exibição


    Participe da Consulta pública aos usuários do Censo Demográfico 2020