Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

English Español
  Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura

IBGE divulga a produção de extração vegetal e da silvicultura em 2001

O IBGE lança hoje sua publicação anual sobre a produção das atividades de extração vegetal e silvicultura no país, com informações detalhadas até o nível de municípios. Em termos nacionais, a comparação entre 2000 e 2001 mostra aumento de 21% da produção de carvão vegetal extraído de florestas nativas, em contraste com a redução de mais de 12% registrada na produção proveniente da silvicultura, ou seja, de árvores plantadas com essa finalidade.

O registro estatístico dos resultados da produção do extrativismo vegetal e da silvicultura, fornecidos em nível municipal pela pesquisa da Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura, reveste-se de importância para o estudo, planejamento e monitoramento de ambas as atividades, contribuindo também, de modo auxiliar, para a construção de seus indicadores de sustentabilidade.

Na pesquisa sobre extrativismo vegetal, são levantadas informações sobre os seguintes produtos coletados diretamente na natureza: açaí (fruto), babaçu (amêndoa), carnaúba (cera), carnaúba (pó), castanha de caju, castanha-do-pará, erva-mate cancheada, hevea (látex coagulado), hevea (látex líquido), jaborandi (folha), oiticica (semente), palmito, piaçava, carvão vegetal, lenha e madeira em tora. As informações sobre silvicultura referem-se aos seguintes produtos obtidos: resina (óleo resina), folhas de eucalipto, cascas secas de acácia-negra, carvão vegetal, lenha e madeira em tora.

Principais produtos - Comparação da produção de 2001 em relação a 2000

Produto Extrativismo vegetal Silvicultura
2001 2000 % 2001 2000 %
Carvão vegetal (t) 1.729.319 1.429.180 21,0 2.029.309 2.385.516 -12,39
Lenha (m3) 49.101.583 50.395.399 -2,77 30.042.485 40.469.405 -25,76
Madeira em tora (m3) 20.069.287 21.918.527 -8,44 69.758.138 71.717.511 -2,73

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Departamento de Agropecuária, Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura

Pará e Minas Gerais lideram a produção de carvão vegetal

O crescimento da produção de carvão do segmento extrativista vegetal deveu-se principalmente, ao incremento de 42,11% na produção do estado do Pará, que, atualmente, é o principal produtor nacional. Destaca-se, em nível municipal, a produção dos municípios paraenses de Paragominas (429.662 t) e de Dom Eliseu (92.160 t). Na produção de carvão da silvicultura, o estado de Minas Gerais respondeu com 77% da produção nacional de 2001, enquanto a Bahia e o Mato Grosso do Sul contribuíram com 6% cada um. A produção nacional de carvão da silvicultura em 2001, em nível municipal, está concentrada em municípios das regiões Sudeste e Centro-Oeste. Os principais produtores em 2001 foram os municípios de Buritizeiro MG (106.144 t), Ribas do Rio Pardo MS (98.614t), Itamarandiba MG (85.467 t) e Rio Pardo de Minas MG (71.829 t).

Cai a produção de lenha do extrativismo e da silvicultura

Com relação à lenha, assinala-se redução tanto na produção do extrativismo (-2,77%) quanto na da silvicultura (-25,76%). A diminuição da produção de lenha do extrativismo pode ser atribuída à crescente adoção do gás de petróleo e do óleo combustível como alternativa energética em cozinhas domésticas, olarias e cerâmicas, caldeiras e fornos industriais. Os principais estados produtores de lenha do extrativismo vegetal foram a Bahia, com 27% da produção do país; o Pará e o Ceará, ambos com 9%; Maranhão, Paraná e Rio Grande do Sul, todos com 6%; Minas Gerais, com 5%; Santa Catarina e Mato Grosso, ambos com 4% da produção nacional. Em 2001, os principais municípios produtores foram Xique-Xique BA (659.322 m³), Riacho de Santana BA (566.002 m³), Serra do Ramalho BA (565.112 m³), Bom Jesus da Lapa BA (553.999 m³), Paratinga BA (436.092 m³) e Wagner BA (423.911 m³). Já os principais produtores nacionais de lenha da silvicultura, em 2001, foram o Rio Grande do Sul, com 33% da produção nacional; São Paulo, com 26%; o Paraná, com 15%; Santa Catarina, com 12%; e Bahia, com 4%.

Pará detém 54% da produção nacional de madeira do extrativismo

Na produção de madeira do extrativismo vegetal, destacaram-se, em 2001, os seguintes estados: Pará, com 54% do volume total produzido no país; Mato Grosso, com 13%; Paraná, com 9%; e Bahia, com 8%. No estado do Paraná, a produção de madeira por extrativismo alcançou 1.889.136 m³, sendo que neste total incluem-se 297.527 m³ de madeira do pinheiro brasileiro nativo. O oeste da Bahia e o interior do Paraná são áreas onde se concentram importantes municípios produtores. No estado do Pará, os principais municípios produtores, em 2001, foram: Portel (860.000 m³), Tailândia (850.000 m³), Almeirim (605.783 m³), Paragominas (597.600 m³) e Baião ( 525.018 m³).

O principal produtor de madeira da silvicultura, em 2001, foi São Paulo, concentrando 25% da produção nacional, seguido pelos estados de Santa Catarina (com participação de 21%), Paraná (19%), Bahia (8%) e Minas Gerais (6%). Em nível municipal, destacam-se como principais produtores de madeira da silvicultura, para a indústria de papel e celulose, São Mateus ES (2.171.023 m3), Almeirim PA (1.372.631 m3), Alcobaça BA (1.319.526 m3) e Mucuri BA(1.186.784 m3). Lideram a produção de madeira de silvicultura para outras finalidades os municípios de Guarapuava PR (1.751.200 m3), Caçador SC (1.110.000 m3), Itapetininga SP (815.000 m3), General Carneiro PR (750.000 m3) e Cabrália Paulista SP (741.301 m3).


Veja também:

Produção da Pecuária Municipal

Produção Agrícola Municipal

Comunicação Social
28 de novembro de 2002

Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura
A Instituição | Locais de Atendimento | Estatísticas do Site | Prestação de Contas | Editais e Licitações