Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

English Español
A- A+

Geografia

Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil

A identificação e a delimitação das maiores aglomerações de população no País têm sido objeto de estudo do IBGE desde a década de 1960, quando o fenômeno da urbanização se intensificou, e assumiu, ao longo dos anos, formas cada vez mais complexas. A necessidade de fornecer conhecimento atualizado desses recortes impõe a identificação e a delimitação de formas urbanas que surgem a partir de cidades de diferentes tamanhos, face à crescente expansão urbana, não só nas áreas de economia mais avançada, mas também no Brasil como um todo.

Com o propósito de fornecer um modelo territorial das relações econômicas e sociais, intrínsecas ao processo de urbanização, o presente estudo apresenta um quadro dos arranjos populacionais no Brasil e em suas médias e grandes concentrações urbanas. Utilizando-se critérios comuns para todo o País, adotou-se uma abordagem que privilegiou elementos de integração, medidos pelos movimentos pendulares para trabalho e estudo e/ou pela contiguidade da mancha urbanizada.

Como resultado, foram identificados 294 arranjos populacionais, formados por 938 municípios, que abrangem 55,9% da população residente no Brasil, a partir dos quais foram definidas, por meio de cortes populacionais, as médias e grandes concentrações urbanas.

Representando o alto escalão da urbanização brasileira, com mais de 750 000 habitantes, destacaram-se 26 grandes concentrações urbanas, nas quais 12 têm papel metropolitano. Acima de 100 000 habitantes até 750 000 habitantes, foram identificadas 158 médias concentrações urbanas que atuam como centros intermediários na articulação do sistema urbano nacional.

A publicação traz considerações sobre os referenciais teóricos e os procedimentos metodológicos adotados na elaboração do estudo e apresenta, sob a forma de mapas, a distribuição dos arranjos populacionais e das concentrações urbanas por Unidades da Federação e os principais deslocamentos pendulares em concentrações urbanas acima de 2,5 milhões de habitantes. O CD-ROM que a acompanha reproduz o volume impresso.

O conjunto das informações ora divulgadas, também disponibilizadas no portal do IBGE na Internet, contribui para o conhecimento renovado das principais formas de estruturação da organização urbana do País.