Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

English Español
A- A+

Geodésia

Centro de Processamento SIRGAS – IBGE

Uma das principais atividades do SIRGAS é a definição e materialização de um referencial geodésico para as Américas. Essa materialização se dá através do estabelecimento de uma Rede geodésica de referência, sendo esta uma atividade do Grupo de Trabalho I (GTI). Com este propósito, foram realizadas duas campanhas de medição GPS, uma no ano 1995 e outra no ano 2000, as quais estabeleceram as Redes SIRGAS95 e SIRGAS2000, respectivamente.

Tendo em conta o crescente número de estações permanentes GNSS estabelecidas no continente americano nos últimos anos, o GTI optou pela criação da Rede de Referência Contínua (SIRGAS-CON), a qual é composta pelas estações GNSS permanentes das Redes dos países da América Latina e Caribe. Na reunião do GTI, de maio de 2008, foi apresentada e aceita uma proposta de organização da Rede SIRGAS-CON envolvendo os seguintes componentes: Centros Operacionais Locais ou centros de dados, Centros Locais de Processamento, Centros de Combinação, e o Coordenador da rede. A maioria destes componentes existia, mas havia a necessidade de coordenar várias atividades e a responsabilidade de cada parte. Outra necessidade era a subdivisão da rede em sub-redes para que as estações fossem processadas por mais de um centro, permitindo uma redundância nas soluções e melhor análise dos resultados.

Atualmente (julho de 2014), a rede SIRGAS-CON é composta por aproximadamente 300 estações localizadas na América Latina, ilhas do Caribe e Antártica e distribuídas em:

I - Uma rede de cobertura continental (SIRGAS-C), caracterizando uma densificação do ITRF na América Latina e processada semanalmente pelo DGFI na qualidade de centro de análises IGS-RNAAC-SIR (IGS Regional Network Associate Analysis Centre for SIRGAS).

II - Redes nacionais de referencia (SIRGAS-N), que densificam a rede continental e são calculadas pelos Centros Locais de Processamento SIRGAS, sendo eles:

  • a) CEPGE (Ecuador)
  • b) CNPDG-UNA (Costa Rica)
  • c) CPAGS-LUZ (Venezuela)
  • d) IBGE (Brasil)
  • e) IGAC (Colombia)
  • f) IGM-Cl (Chile)
  • h) IGN-Ar (Argentina)
  • i) INEGI (México)
  • j) SGM-Uy (Uruguay)

Tanto a rede continental como as nacionais têm as mesmas características de qualidade e cada estação é processada por três centros de processamento. Estes Centros geram soluções semanais semilivres (loosely constrained) das redes SIRGAS-N, as quais são combinadas posteriormente com a rede continental SIRGAS-C, determinando assim, as posições e velocidades de todas as estações. Esta tarefa é realizada pelo IBGE e pelo DGFI, e os resultados são disponibilizados para a comunidade através do servidor ftp.sirgas.org. As soluções "fixas" semanais são referidas à época da observação e ao ITRF vigente, atualmente o IGb08, uma realização do ITRF2008.

Estações Processadas

As estações pertencentes a rede SIRGAS-CON possuem equipamentos de dupla-freqüência e são materializadas através estruturas estáveis sobre as quais são instaladas no topo, dispositivos de centragem forçada.

Mais informações sobre a configuração de uma estação SIRGAS-CON pode ser encontrado no Guia de Instalação de Estações SIRGAS-CON.

Informações sobre cada uma das estações podem ser encontradas em: ftp://ftp.sirgas.org/pub/gps/DGF/station/log