Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

English
A- A+

Reflexões sobre os Deslocamentos Populacionais no Brasil

Reflexões sobre os Deslocamentos Populacionais no Brasil

O fenômeno da mobilidade populacional vem apresentando transformações significativas no seu comportamento desde as últimas décadas do Século XX, não só no Brasil como também em outras partes do mundo. Até o presente momento, essas mudanças têm demandado um esforço por parte dos estudiosos no sentido de buscar explicações teóricas para esses novos processos, que se materializam, entre outros aspectos, na dimensão interna, tanto pelo redirecionamento dos fluxos migratórios para as cidades médias em detrimento dos grandes centros urbanos, como pelos deslocamentos de curta duração e a distâncias menores, quanto pelos movimentos pendulares, que passaram a assumir maior relevância nas estratégias de sobrevivência dos indivíduos, não mais restritos aos grandes aglomerados urbanos.

Visando contribuir para uma discussão contemporânea sobre o tema, técnicos e pesquisadores do IBGE, reunidos no Grupo Transversal de Estudos do Território e Mobilidade Espacial - GEMOB, oferecem, nesta publicação, uma coletânea de seis estudos sobre as mais diversas dimensões da mobilidade populacional no País.

O primeiro, Algumas abordagens teóricas a respeito do fenômeno migratório, é dedicado à reflexão teórica e trata do debate atual sobre a questão, com aportes das mais diversas correntes, nacionais e internacionais, proporcionando um ponto de partida importante para as análises empreendidas. Apresenta, ainda, perspectivas que identificam, na mudança do padrão de acumulação do capital, o eixo estruturante na explicação do novo modo como se apresentam as migrações.

Os dois estudos seguintes – O panorama dos deslocamentos populacionais no Brasil: PNADs e Censos Demográficos e A investigação das migrações internas, a partir dos Censos Demográficos brasileiros de 1970 a 2010 – fornecem um quadro geral desses deslocamentos internos na primeira década do Século XXI, com análises sobre os movimentos inter-regionais e interestaduais bem como sobre as mudanças ocorridas nos levantamentos estatísticos, tendo como referenciais pesquisas realizadas pelo IBGE.

O estudo Reflexões sobre a mobilidade pendular trata dos movimentos pendulares como expressão das diferentes dimensões da economia e da sociedade contemporâneas, responsáveis, que são, pela criação de novos espaços territoriais e societários nos lugares de origem (domicilio) e destino (trabalho, ensino, lazer e outras atividades relacionadas à ação humana). Propõe, ainda, um novo olhar, tanto metodológico como teórico, sobre essa modalidade de deslocamento populacional.

A migração internacional é objeto de análise em Estimativas de migração internacional no Brasil: os velhos e os novos desafios , que tece considerações sobre tais procedimentos de cálculo e seus desafios metodológicos e discute os possíveis usos da informação sobre a emigração internacional investigada no Censo Demográfico 2010.

O último estudo, Perspectivas para a mensuração do fenômeno migratório no Brasil, aborda as possibilidades analíticas para a melhor apreensão deste fenômeno, que se vislumbram para a década de 2010, a partir dos resultados do Censo Demográfico 2010 e do Suplemento Migração da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD Contínua.

O conjunto dessas informações também encontra-se disponível no CD-ROM que acompanha a publicação.